segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Batalha Sexual No Campo dos Apps

Fui radical: desativei a plataforma de aplicativos do Facebook. O Motivo? O tal do novo Aplicativo “Tubby” que está com sua estreia programada para esta quarta-feira.



"Arreguei" e tenho medo, não das possíveis avaliações de quem realmente teve uma relação comigo (bom, pelo menos não da maioria, um que outro pode ter algum rancor), mas daquelas que seriam feitas por aqueles que queriam ter algo comigo, ou dos que tiveram pouca coisa e gostariam de ter mais, e não tiveram. 

Homens tendem a rotular mulheres e classificar comportamentos femininos muito antes da internet surgir. “Esta é pra casar”, “dama na sociedade e puta na cama”, “fácil”, “vadia”, “santinha do pau-oco" e outros tantos  termos que todas nós conhecemos e já ouvimos da boca de algum homem (em tom de piada, ou não). Imaginem os tipos de expressões possíveis em um aplicativo para uso exclusivo (e anônimo) masculino com a finalidade de avaliar a mulher e “descobrir se ela é boa de cama”. Deu medo em você também? Não? Então vou lembrá-las que na vida real muitos homens já contam vantagens e inventam histórias,  e tantos outros se deixam influenciar pelas opiniões de seus amigos nas escolhas de suas parceiras, lembrem-se, também,  que todos os homens em seu perfil estão aptos a fazer e ler avaliações sobre você, não só seus amigos, mas seu chefe, seus empregados, seu professor, seus colegas, seus parentes... E que estas avaliações seriam apenas sobre sua suposta performance sexual. Constrangedor, não?

Este aplicativo em questão seria uma resposta masculina, bem ao estilo “Clube do Bolinha” (pra quem não sabe, o nome do Bolinha é “Tubby”), ao aplicativo Lulu. Nunca usei o tal Lulu, e nem concordo com a ideia de alguém ser avaliado e rotulado, de forma anônima e sem seu consentimento prévio, o que eu considero uma espécie de invasão de privacidade... Porém o Lulu é brincadeira de mal gosto de menina. Menina no sentido de mulher imatura. (A Babs, do Garotas Geek, se prestou a listar  todas as hashtags e saciar a curiosidade alheia). Sinceramente, nenhuma MULHER com um mínimo de maturidade levaria a sério tal aplicativo e se deixaria influenciar na escolha de seu “provável-alguma-coisa” por avaliações que ali constassem. E se alguma idiota fizer isso e deixar de sair com alguém, este homem pode se considerar um sortudo que se livrou de um problema.

A ideia do Lulu seria formar uma espécie de cadastro de "bons e maus partidos", feito pelas próprias mulheres, no anonimato, para que elas pudessem fazer escolhas inteligentes sobre seus parceiros. Aham, senta lá... Que mulher inteligente levaria isso a sério? Se uma mulher realmente acha que determinado homem é um bom partido, pode ter certeza que ela não sairá por aí dizendo #MãosMágicas #SafadoNaMedidaCerta e aumentando exponencialmente a concorrência. Muito mais provável que alguma mulher tente esculhambar com um ex #NãoQuerNadaComNada #NãoFedeNemCheira ou tente gerar insegurança em alguma relação alheia avaliando um comprometido como #DeletaHistórico  #StripClubVIP... Tal aplicativo é um prato cheio para as recalcadas e para as intrigas, isso sim!  E muitas das avaliações negativas nem são de fato depreciativas para os próprios homens. #ArrotaEPeida #FalaPalavrãoPraCaralho? Quem não conhece um punhado de homens, de 8 a 80 anos, que até se orgulha dessas atitudes “brucutu-mundo-macho”?  As avaliações de cunho sexual que realmente seriam ofensivas para boa parte dos homens, #PauPequeno e #Brocha, inexistem (até onde sei ou foi divulgado) . Apesar de toda essa parte ruim de avaliar e rotular pessoas, o lado  falso- positivo seria uma abertura para uma ampla discussão sobre as diferenças de gênero, afinal, houve uma  inversão de papéis sem precedentes, em que pela primeira vez um grande número de homens se sentiu objeto, ou seja, este seria um bom momento para que todos refletissem sobre essa questão. Mas não. 

O que acontecerá? O mais previsível possível: um aplicativo revanche, nos mesmos moldes, porém piorado, focando na avaliação do desempenho sexual feminino. 

Um outro aplicativo imbecil, que se realmente for lançado ( há a teoria de que ele não passa de um hoax ou de uma estratégia de marketing de alguma outra coisa) divertirá muitos homens, certamente, porém trará danos a muitas mulheres. Por quê? Não sejamos ingênuos, por mais positiva que na visão masculina seja uma avaliação sexual, para a mulher ela será sempre negativa, ainda mais se pública. Esqueceram que vivemos numa sociedade machista em que ainda é "mal-visto" uma mulher gostar de sexo (a Renata escreveu sobre isso )?

Se uma mulher está com um homem e ele é avaliado como alguém que #NãoLigaNoDiaSeguinte por 20 outras, ela vai pensar “ainda bem que ele não ligou pra vocês, pra mim ele liga” #ChoraRecalque #BeijosPrasInimigas. E se um homem tiver sua mulher avaliada como #EngoleTudo #CurteTapas (as tags divulgadas) por 20 outros? E essa avaliação for visível para todos seus amigos homens?  Nenhum amigo engraçadinho fará uma piadinha de mal gosto que o aborrecerá? Não surgirão apelidos? Ele vai achar que é legal que ela seja reconhecidamente boa de cama, ou pensará que ela é uma vadia sem valor? Tenho muitas dúvidas se os homens realmente enxergarão este aplicativo como algo meramente “recreativo” e “inofensivo”, e que nenhuma hashtag será capaz de mudar a maneira como enxergam suas mulheres, suas amigas e suas colegas, e que acharão o máximo as notas altas de suas mães e irmãs  #Safadas #Cavalas. 

Sim, eu excluí meu perfil neste aplicativo preventivamente, excluí o aplicativo do Facebook e aproveitei para excluir toda a plataforma de aplicativos (adeus joguinhos, sentirei a falta de vocês), caso ele resolva voltar a acessar minhas informações (segundo uns conhecidos, isso aconteceu com perfis excluídos do Lulu). Se for um hoax, caí na pegadinha, se for um spam, haja paciência. Mas, se for verdade, eu pelo menos tentei preservar um pouco a minha imagem. 

Andreia escreve raramente, e está casa vez mais decepcionada com os rumos que as redes sociais têm tomado. Ela aproveita para  lembrar que uma relação sexual é feita por pelo menos 2 pessoas, e que para ser considerada boa, precisa haver química entre os envolvidos. E que isso é altamente relativo! Uma mesma mulher pode ser considerada frígida por um, e ninfomaníaca por outro.


Um comentário:

andreia disse...

E então que tudo realmente não passou de um "hoax"...

Sim, me preocupei, e posso ter sido boba segundo alguns.

Mas muitos dos comentários na fanpage do suposto App eram de homens levando muito a sério essa história.

E como a bobagem correlata feminina, o Lulu, realmente existe.

Bem, parabéns a quem inventou isso."Gênio do Marketing".

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...