terça-feira, 6 de novembro de 2012

Da série: Coisas que me irritam (1 de infinitas)

Andei uns dias meio irritada. TPM. Esses dias se estenderam por semanas e então: TPM de novo. Até que decidi deixar de usá-la como desculpa, embora ela tenha parte nisso, e aceitar. Sou ranzinza. Impaciente. Me irrito com muitas coisas. A Poliana sempre sussurrando no meu lado. um dia dei um tapão nela, que caiu de boca no chão e sumiu. E assim começa essa série, falando sobre as infinitas coisas que me irritam.
Foi difícil decidir por onde começar. Pensei em fazer listas: por ordem de irritação, por ordem alfabética, por ordem cronológica no decorrer do dia, sem ordem alguma.
Mas decidi falando de algo que me irrita demais e que me dá vontade de pular na garganta de quem faz: as repetições.
Eu mesma uso esse subterfúgio, principalmente na escrita, quando quero enfatizar. Por exemplo, para descrever algo que me irrita muito muito mesmo. Mas mais de duas repetições já é exagero. Mais de cinco é loucura! Ainda mais quando a pessoa está falando, pois ela tem TODOS os recursos para mostrar ênfase; pode gesticular, erguer uma sobrancelha só (bem, nem todos podem...), erguer o tom de voz, pular, sei lá! Muitos muitos muitos recursos. Mas não. Elas falam infinitamente a mesma palavra como se isso fosse fazer mais efeito do que dizer uma vez só. O único efeito que dá é fazer a gente querer dizer:  eu não sou surda.
Uma variação é aumentar a extensão dos exemplos: tinha dessa blusa em vermelho, rosa, azul, bege, laranja, verde, amarelo...quando podia dizer: várias cores. Por que falar palavras demais quando se pode falar a mesma coisa com menos palavras? Só pra ouvir sua voz? Pra ter tempo de pensar no que vai dizer depois? Por total esquecimento de que há outras pessoas ao redor e só querer ficar divagando? Por medo de que surja o silêncio? Tudo bem ficar em silêncio!
Então, se você tem essa mania horripilante de repetir a mesma palavra muitas e muitas e muitas vezes, e acha que esse texto é para você, é mesmo.
Se você não tem, não faça isso nunca!

Renata assumindo seu lado ranzinza.

5 comentários:

Debby disse...

Oi Renata

Nossa e como me vi nesse post.kk e justamente em dias assim de TPM.
Meu filho mais velho diz que sou um Tsunami Pré e Pós Menstrual. kkk
E suas repetições me lembrou essa cena do Muita calma nessa hora.
Dá uma olhada:
https://www.youtube.com/watch?v=UhqMKGD_dTw

se liga nos 01:30 em diante
kkk

Adorei o post
Debby :)

Anônimo disse...

Obrigada, Debby!
Toda solidariedade é bem vinda! E rir é o melhor a fazer, embora na hora em que a gente empu$#ce é mais difícil!

Angel disse...

Jesus! Eu sei bem o que é isso, trabalho com alguém que repete muito, muito, muito mesmo. E o caso dela é LOUCURA, sem dúvidas. Saudade de vc, sua ranzinza!

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Kkkkkkkkkkkk


Eu sei bem como é! Kkkkkkk

Breve história :

Meu irmão caiu do segundo andar. Fiquei em choque!
Aí meu vizinho chamou a esposa e disse: " fulana, vá na cozinha, pegue um copo, encha com agua. Agua de beber. Pode ser gelada ou natural. Pegue o açucareiro também. Coloque no copo com agua mais ou menos 3 colheres de açúcar. Pode ser 4. Mexa bem e traga pra Selma beber para ela se acalmar"

A vizinha da outra casa olhou impaciente e disse: PQP! Era só pedir agua com açúcar para a Selma se acalmar.

Depois do susto, ri demais com a receita!

Selma

Renata disse...

Angel, saudades tuas tb! Espero que eu não esteja tão ranzina da próxima vez que a gente se encontrar!
Selma, é EXATAMENTE isso a que me refiro: certas pessoas deviam pagar uma taxa por palavra dita, para ver se começam a "economizar" um pouco, e serem mais objetivas.
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...