domingo, 17 de fevereiro de 2013

Silêncio


Existem dias em que a tristeza parece que vai tomar conta de nós...
Segunda-feira, dia 11/02 foi um desses dias. Minha mãezinha faleceu e eu estava ao seu lado, segurando sua mão.
(Ela estava hospitalizada desde o dia 31/12. Tinha câncer no cérebro.)
Curiosamente, instantes antes de seu falecimento, eu estava lendo o seguinte poema de Mário Quintana:

Silêncio
"O mundo, às vezes, fica-me tão insignificativo
Como um filme que houvesse perdido de repente o som
Vejo homens, mulheres: peixes abrindo e fechando a boca (num aquário)
Ou multidões: macacos pula-pulando nas arquibancadas dos estádios...
Mas o mais triste é essa tristeza toda colorida dos carnavais
Como a maquilagem das velhas prostitutas fazendo trottoir
Às vezes eu penso que já fui um dia um rei, imóvel no seu palanque,
Obrigado a ficar olhando
Intermináveis desfiles, torneios, procissões, tudo isso...
Oh! Decididamente o meu reino não é deste mundo!
Nem do outro..."

Ao término da leitura, imediatamente me identifiquei com o poema. Em pleno carnaval, com toda a esfuziante alegria colorida, eu estava olhando minha mãe se degenerar em vida... Mal eu havia começado a digitar o poema no Facebook, levantei os olhos e percebi que o momento de sua partida estava chegando. Imediatamente pulei de onde estava e, juntamente com meu esposo, seguramos sua mão até que partisse.
Foi um dos momentos mais tristes da minha vida...
Nunca um poema conseguiu expressar de maneira tão perfeita meu sentimento.
O silêncio e o vazio tomaram conta de tudo.

Déia escreve aos domingos e ainda está tentando, de alguma maneira, preencher o vazio deixado pela partida de sua mãezinha querida...

8 comentários:

Das coisas que vejo e gosto. disse...

Oi Déia...
Diante da sua dor, diante da " falta do chão" que uma perda nos dá, desejo que Deus esteja ao seu lado.

Um abraço de conforto minha querida,

Selma.

Anônimo disse...

Uma perda dolorida e que sempre é muito, muito difícil...
Meus sentimentos de solidariedade para ti Andréia.
Itamar

Naty disse...

Oi Déia...
Sinto muito pela sua mãe. Sei que nenhuma palavra é suficiente para confortar nesse momento, mas não perca a fé. Deus está do teu lado sempre e ela está num lugar bem melhor.

Bejus

Andréia B. Borba disse...

Selma, Itamar e Naty, muitíssimo grata pelas palavras de carinho.
Bjs.
Déia

Mariana disse...

que os anjos te confortem!

Eduque-Q disse...

Olá Déia!
Já perdi entes queridos e conheço o vazio que nos acomete nesses momentos. Não há o que dizer...Receba um abraço fraterno daqui das montanhas de Minas.
S.

Andréia Borba Chies disse...

Sérgio e Mariana, muito obrigada!

Sol disse...

Que Deus conforte sempre seu coração.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...