domingo, 2 de fevereiro de 2020

Renascer

Foi eletrizante.

Ele  exibiu todas as principais características de sua combinação perfeita.  Um pouco mais alto que ela, penetrantes olhos azuis, extremamente ansiosos e atenciosos.  Olhando para trás no tempo, apenas anos (muitos anos!) depois ela percebeu que era um comportamento obsessivo e compulsivo.  Mas só se pode ver isso em retrospectiva.

Ele a seguiu por semanas e teve um sorriso radiante toda vez que a olhava.  As mensagens de texto insistentes eram engraçadas e sedutoras.  Ele demonstrou extremo contentamento, entusiasmo pela vida.  Ele era alegre e em forma.  Mas acima de tudo, seu mundo parava toda vez que ele olhava para ela.  Ele disse que nunca se sentiu assim antes, estava sendo tão impulsivo ... Na verdade, ele dedicou sua vida a ela.  Por 18 meses.

Quando tudo mudou?  Apenas uma coisa precisava mudar.  Quando o suprimento se torna preso.  É aí que todas as mudanças acontecem.

Repentinamente ela não tinha mais voz, não tinha escolhas.  Ela não podia escolher onde morar, para onde ir, onde os móveis seriam posicionados na casa.  Suas amigas não eram boas o suficiente para dedicar seu tempo.  Ela não era boa o suficiente para cozinhar, criar os filhos.  Ela tinha que esquiar, acampar.  Oh meu Deus, quem não gostaria?  Ela tinha que gostar das atividades dele.  Todos no mundo gostavam, por que não ela?

 Sua rede de relacionamentos era alimentada o tempo todo com informações para se distanciar dela.  Ela é louca, era a palavra usada por aí.  Da mesma forma que seus pais e sua família foram alimentados, eventualmente até no trabalho isso se descencadeou.

 Ela começou a perder a luz.  Seu desejo pela vida.  Ela ficou contida e cheia de dúvidas.  Ele a amava, então ela pensou que ele poderia estar certo.  Talvez ela estivesse mesmo louca.

 A questão central nos relacionamentos obsessivos, compulsivos e controladores é a falta de auto-estima.  Ele não podia acreditar que ela ficaria por opção.  O medo do abandono era insano.  Na verdade, ele sabia que, trancando-a, eventualmente ela voaria.  Por que não?

O treinamento era constante: comportava-se e ela recebia presentes incríveis.  Se ela não fazia que era solicitado, ela recebia tratamento silencioso.

6 anos em de regeneração pessoal.  Auto-crescimento, auto-crença, exaustão emocional entre auto-culpa e resistência.  Se ela tentasse dizer uma palavra, ele diria mais alto.  Até que ela desistisse de falar.

 Cercado por mentiras, falta de apego e necessidade de retratar para o mundo que era uma família perfeita.  Uma prisão sem grades.  Uma existência solitária.  Afinal, quem acreditaria que o cara mais legal teria um lado tão sombrio dentro de casa?

 Até que ela ficou pronta.  Emocionalmente pronta.

 Mas ela nunca estava preparada para o que viria a seguir.

 Então ele diz: você está me deixando?  Você está louca?  (A mesma conversa maluca, como sempre.).  Você acha que encontrará alguém que faça tudo o que eu faço por você?  Você é nada.  Sua carreira foi por minha causa, os filhos são por minha causa, nossa casa é por minha causa e nossos amigos estão a nossa volta por minha causa.

 Mas ela estava pronta.  Ela tinha auto-crença suficiente naquele momento para não ouvir mais uma palavra.

 A próxima estratégia usada foi oposta: persegui-la com constantes mensagens de texto obsessivas, planos de encontros, presentes caros, oferecer-se para viajar para ilhas paradisíacas e fotos de seu corpo (como se assim se apagariam todos os feitos passados ​​e a crueldade de uma existência isolada e  triste).

 Então, para provar que ele estava certo.  Afinal, ele é o Sr. Certo, ele sempre esteve certo.  O plano maligno começa.

A despejou de sua própria casa (para nunca mais voltar, ela nunca esteve lá novamente, nem mesmo para recolher seus pertences pessoais).  Não lhe foi permitido  ver as crianças por um período inaceitável.  Desabrigada por um mês, sua imagem denegrida no trabalho onde “ela foi instruída” a não voltar, com direito a menos da metade do que construíram juntos, reputação prejudicada profissionalmente, pessoalmente e com seus próprios filhos.  Nem vamos mencionar as mentiras envolvidas para que a polícia viesse atrás dela para desviar  sua atenção de seus direitos para o modo de sobrevivência.

 Estilo de Hollywood.  Suas próprias realizações e carreira de vida construídas com tanto foco foram destruídas.  Por uma pessoa.  Quem não se amava o suficiente para deixá-la ir em paz.

 Raiva, engano, mentira, força, traição, escuridão, egoísmo e ciúme.

 Mas ela é forte.  E ela acredita em si mesma.  Ela nunca pensou que seria novamente feliz.

Feliz.  E ela é.  Ela está livre de novo.  E agora ela pode brilhar.  O sorriso aberto dela diz tudo.  Ela é livre.

Lil sofreu por muitos anos e agora escolhe olhar para o que funciona e deixa a vida mais leve.

2 comentários:

Anônimo disse...

Torcendo para o melhor na sua vida ;-)

Lil disse...

Obrigada querida! Beijos no ❤️

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...