domingo, 8 de abril de 2012

Quem não é visto não é lembrado... INFELIZMENTE!

Tenho me sentindo meio perdida em meio às pessoas que eu conheço há tantos anos e com as quais convivi por muito tempo.

Tenho me sentido descartada, excluída...

É como se minha importância em suas vidas tivesse sido reduzida a praticamente nada...
Fico absolutamente impressionada com a facilidade com que as pessoas descartam as outras de suas vidas...
Infelizmente parece ser verdade a tal máxima: “Quem não é visto não é lembrado”...
Déia escreve aos domingos e está muito chateada com a indiferença de certas pessoas...

11 comentários:

Anônimo disse...

Nenhum comentário até agora. Deixo aqui o primeiro pra ver se você não se sente tão ignorada. (y)

Anônimo disse...

É exatamente o que sinto. Isso tem me causado repugnância. Deveria aprender a entender o que está acontecendo, mas não estou me permitindo. Fato é que a angústia está sendo minha companheira.

Anderson Reche disse...

Acho que isso acontece com todos em todas as fases da vida... Lembra daquela turma unida que tu conheceu? Não vou culpar as mulheres que apareceram em suas respectivas vidas, ou talvez que de alguma forma eu não tenha representado nada em suas vidas. Guardo as boas lembranças e vivo o presente longe, na esperança de voltar e ser recebido de braços abertos. Quanto a você profe... Tenho a certeza de que NUNCA vai ser esquecida por teus alunos. Guardarei para sempre você, assim como tantos outros. Saudades!

Andréia B. Borba disse...

Hehehehehe! Obrigada Anônimo das 04:17! ;)

Exatamente Anônimo das 08:57... tamb´m me angustio com situações como essas...

Anderson, querido, você é absolutamente fantástico! Meu carinho por você ultrapassa qualquer limite geográfico meu querido! <3 Você também é mto especial p/ mim...

Abraços a todos,

Déia

Fabiana Bof Bizotto disse...

Acredito que com o tempo as pessoas vão mudando e o que antes tinham em comum vai deixando de existir. Isso não quer dizer que diminua o carinho que sentem pelas pessoas e pelo que viveram juntas, mas que com a mudança natural que ocorre com o passar do tempo vão fazendo novas amizades de acordo com o rumo que dão para suas vidas. Tenha certeza de que não esqueço de você e das nossas lembranças de infância... Apesar de atualmente nos vermos raramente o carinho permanece! Aliás, adoro ler o que você escreve, pois é uma forma de me sentir próxima!
Saudades...
Fabi

Andréia B. Borba disse...

Fabi querida, também nunca esqueço de você!
Obrigada pelas suas palavras!
bjs enormes!
Déia

andreia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andreia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
andreia disse...

*google dificultando meus comentários...


Para dizer que concordo com sua afirmação, mas não relaciono a sentimentos.
Vivemos numa sociedade visual e imediatista. Assim, para participar das pequenas situações cotidianas, precisamos ser vistos para sermos lembrados.


bjs

Loloh disse...

Estou vivendo o mesmo sentimento de abandono. Mas agora tenho um bebê para cuidar. Talvez tenha sido por isso que as pessoas sumiram. A minha vida de antes não se encaixa na de hoje. Pena que as amizades daquela época ficaram naquela época. Vou sentir falta das pessoas, mas deixo ir. Novas virão!

diLkinha disse...

De certa forma, seu texto conforta muitas pessoas que compartilham desse mesmo sentimento, de certa forma, não se sentem só, pelo menos, nessa difícil descoberta de as pessoas só estão com você enquanto não encontram um outro alguém.

Aprendi que as pessoas que entram na vida de seus amigos (ou ex-amigos, sei lá), determinam o rumo que sua amizade tomará.
É uma pena...
Ou é só a sequência da vida e temos que nos acostumar com isso.
Ainda não tento compreender, na verdade, nem tento mais.
Só vou seguindo, sem, no entanto, tentar fazer amizades novas.
Talvez seja mais interessante cuidar melhor do meu cachorro e do meu amor.
hehe

Até mais.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...