sexta-feira, 23 de julho de 2010

Antidepressivos do Bem

Pois é, estou tomando antidepressivos de novo. E, ao contrário do que todos pensam, estou adorando. Contei pra algumas amigas que tinha voltado ao psiquiatra e ele tinha voltado com meus “antipsicóticos” – como eu carinhosamente chamo meus comprimidos de cloridrato de sertralina – e elas ficaram tristes por mim. Gente, mas por quê?! Ultimamente acho que meus remedinhos vão me acompanhar para todo o sempre e, sinceramente? Não me incomodo. Prefiro tomar antidepressivo pra sempre do que insulina ou anti-hipertensivo.

Diabético e hipertenso têm um monte de restrições alimentares que deprimido não tem. E outra coisa, o fato deles tomarem insulina e anti-hipertensivo não dá a eles o direito de comer o que eles quiserem. O deprimido crônico, ao contrário, toma o remedinho dele e vê o mundo em cor-de rosa!!! Aliás, ele deixa de ver o mundo em tons de cinza e volta a ver toda a paleta de cores, milhões delas, o mundo em HD!! Coisas pequenas permanecem pequenas, coisas médias permanecem médias, coisas grandes, infelizmente, também permanecem grandes. Mas pelo menos a gente se preocupa com o que merece preocupação. Com a vantagem de poder tomar um porre ou comer um chocolate sem morrer ou ter um derrame imediatamente. Sabem que a gente consegue até acalmar os outros à nossa volta quando a gente tá tomando antidepressivo? Pois é, consegue rsrs

Mas aí você não pode beber, dizem alguns. É uma meia verdade. Até posso beber um pouquinho. Entretanto, também é verdade que, embora eu ainda tome uns porres de vez em quando, já não tenho tanta vontade de beber assim. Nem socialmente. Álcool faz mal pra pele e as ressacas têm sido cada vez mais cruéis. Se eu quiser manter o plano de ter 33 com cara de 33, 40 com cara de 40, 50 com cara de 50 e assim em diante, só o protetor solar não vai adiantar. É bom continuar fazendo careta na frente do espelho, passar creminho e parar de beber... álcool. E beber água. Muita água. O antidepressivo é uma boa desculpa pras pessoas que não entendem minha vaidade com a pele não encherem meu saco num encontro social. Digo simplesmente: não posso beber, tomo antidepressivos. Ninguém insiste, no início ficam com pena, depois me vêem rindo, gargalhando e falam: nossa, mas nem parece que você é deprimida!! E eu respondo que os remédios são ótimos!! Fico feliz, não bebo e a pele agradece.

Outra vantagem dos antidepressivos é que, como eles diminuem a ansiedade, eu acabo emagrecendo. Deixo de atacar toneladas e toneladas de Talentos, M&M’s, pães de queijo, bombons, brigadeiros de panela, casadinhos, canudinhos de doce de leite, pães de mel recheados com creme de nozes, e por aí vai. Fala sério: isto não é lindo? Mal vejo a hora deste efeito colateral começar a se manifestar. Some-se a isto, evidentemente o fato de que, com a redução drástica do consumo de álcool, ocorre uma redução sensível no consumo de tira-gostos, compostos à base de torresmo de barriga, joelho de porco, costelinha, picanha, macaxeira frita, jabá, pastel de angu e afins. Ou seja, em questão de poucos meses terei botado fora alguns quilinhos. Só isto já ajuda a equilibrar a psique de qualquer mulher de trinta.

E desta vez está ocorrendo algo inédito e também lindo: não estou conseguindo tomar coca cola!! Pode até ser coisa da minha cabeça, mas fui tomar um copo de coca zero que eu adooooooro, um dos meus maiores vícios e quando aquele líquido preto geladinho delicioso chegou às minhas ávidas papilas gustativas senti um gosto de ressaca que Deus me livre!!! Parecia que eu estava comendo uma cueca de cigano. Daqueles que fica meses sem tomar banho. Que nojo!!! Não que eu já tenha comido uma cueca de cigano, mas fiquei imaginando que uma cueca de cigano deve ter aquele gosto ruim! Tá lá em casa uma garrafa aberta faltando um copo e outra fechadinha. Vou levar pra Cecília, que é viciada que nem eu ERA. Já fazem quase dez dias que não tomo coca cola. E como não tomo coca cola, não tomo refrigerante. Tomei quase dois litros de limonada suíça ontem.

Então que eu cheguei à conclusão de que meus antidepressivos são totalmente do bem! E carrego meus comprimidinhos na bolsa de boa.

Laeticia não está nem aí pra quem acha que tomar antidepressivo é o ó do borogodó de trash.

13 comentários:

Renata disse...

Que bom que você se sente melhor, mas não concordo que vai tomar teus comprimidinhos pra sempre. Logo tu vai ser menos ansiosa, (mais) magra, cuidar da pele e tudo o mais, sem eles!
Beijosssss!

ESPERANÇAS DE IARA... disse...

Vai em frente sem peso na consciência... Mas também acho que eles não irão te acompanhar por todo o sempre... Não é o ó do borogodó, viva cada dia de uma vez só, com ou sem eles...
Beijocas....
Thatá.

Marco disse...

Na boa, eu concordo em gênero, número e grau, com você Laeticia. Só quem toma sabe o bem que isso faz. Quem não precisa tomar, melhor ainda. Mas graças a Deus que existem antidepressivos e que o mundo não precisa ser em preto e branco. Bjs

Inaie disse...

Laeticia, eu acho os antidepressivos o O do borogodo sim. mas nao por voce. Fico triste pelo mundo com esses antidepressivos andando por ai.
Te fazem bem? Nao tenho a menor duvida...fazem voce mais feliz? siiim, com certeza.

mas imagine Van Gogh com antidepressivos. Os grandes artistas eram todos bi polares. Pintavam coisas maravilhosas, iluminadas e coloridonas na fase alta, e coisas maravilhosas, negras, pesadonas, na fase baixa.

Cade os novos genios artisticos? nao estao por ai, por que estao todos tomando anti depressivos...

Faz uma experiencia basica: larga as bolinhas e compra uma tela e um pincel. Quem sabe voce nao e um genio artistico, domado pelos comprimidinhos coloridos??

www.inaier.blogspot.com

Carla disse...

Nossa, que texto maravilhoso, ha ha ha, parecia que eu estava me ohando no espelho! Parabéns!

Lígia disse...

Também acho super a favor de tomar pra sempre! Comecei a tomar Prozac em dose baixíssima (15mg 1x ao dia), já foi o suficiente para melhorar em 200% minha concentração, humor, ansiedade... Antes eu era agressiva, bastava uma coisinha pra estragar o meu dia, era grossa, sem paciência mesmo, ansiosa... Agora minha vida melhorou muito, e não sinto nenhum dos possíveis efeitos colaterais.

Pos- crítico disse...

Achei muito interessante o relato. Fico feliz por estar bem e fazer de tudo. Mas não precisava ter sito preconceituosa ao falar da "cueca do cigano". Imagina falar de um povo tão alegre e festivo. Dono de uma cultura incrível e muito rica. Viva a diferença, viva a diversidade de tipos físicos, de cores, de rostos.
A discriminação deve ser desconsiderada e eliminada em nosso tempo.
Vamos prestar mais atenção a nossas opiniões elas não podem expressar preconceito.

camila marconi disse...

Hoje fui no meu medico e ele pediu para eu tomar o cloridrato de sertralina, fiquei morta de vergonha de perguntar se posso tomar 1copinho de cerveja no FDS...

Marco disse...

Pode Camila, sem problemas.

Tatiane Lentino disse...

Tb comecei com o Sertralina. O médico prescreveu 50mg, mas estou tomando meio. Depois de 6 dias começo a tomar inteiro. Te pergunto qto tempo depois ele começa a fazer efeito? Pq eu ainda me deprimo e será q esse de 50mg vai fazer efeito?!

Tatiane Lentino disse...

Tb comecei com o Sertralina. O médico prescreveu 50mg, mas estou tomando meio. Depois de 6 dias começo a tomar inteiro. Te pergunto qto tempo depois ele começa a fazer efeito? Pq eu ainda me deprimo e será q esse de 50mg vai fazer efeito?!

Tatiane Lentino disse...

Tb comecei com o Sertralina. O médico prescreveu 50mg, mas estou tomando meio. Depois de 6 dias começo a tomar inteiro. Te pergunto qto tempo depois ele começa a fazer efeito? Pq eu ainda me deprimo e será q esse de 50mg vai fazer efeito?!

Marco disse...

De 20 a 30 dias

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...