quarta-feira, 22 de abril de 2015

Vamos parar de contar o tempo?

Qual o tempo que um relacionamento precisa ter para ser validado? Ou para ter dado certo? Estranha essa mania das pessoas contarem o tempo, principalmente em relacionamentos. “Aniversário de dois anos de namoro”. “Ah, estamos juntos há apenas cinco meses, ainda é cedo para morarmos juntos”. “Ficamos apenas por dois anos juntos, não deu certo.” 

Já vi relacionamentos de seis meses terem dado muito mais certo do que de quatro anos. Pessoas, as quais ficaram por pouco tempo juntas, terem feito muito mais diferença e trazido tão mais uma para a vida da outra do que outras que ficaram por bastante tempo. Pessoas que ficaram juntas por um ano conhecerem-se muito mais do que aquelas que ficaram por onze. Um relacionamento para ser validado deveria levar em consideração outras características que não o tempo de duração: complementaridade entre o par, apoio, divertimento, intensidade, respeito, confiança, sexo e até aquele tal de amor, que tanto se fala e pouco se sente. 

Existem relacionamentos longos onde só acontecem desencontros, parasitismo, e desentendimentos e normalmente estes são validados, afinal deram certo - duraram longos anos! Dentro desta lógica, só vai ter dado certo se os indivíduos ficarem o resto da vida juntos! Ou seja, você pode ter tido vários relacionamentos felizes e plenos e, caso nunca se case com só a morte separando, você não terá tido nenhum relacionamento que deu certo. E se nada dá certo, você está fadado a ser frustrado, frustrado você está fadado a infelicidade eterna – e toda aquela felicidade que os relacionamentos causaram é esquecida. E, pensando bem, você nunca saberá que o seu relacionamento deu certo, a não ser que o cônjuge amado desencarne antes – aí você poderá dizer: deu certo!

Parece uma tremenda perda de tempo esta contagem, gastamos energia com o que não importa e não nos envolvemos de fato. Podemos até deixar de viver um lindo e intenso relacionamento de seis meses, uma vez que este não seria validado. E podemos ficar presos em relacionamentos de anos que não fazem mais sentido.


Que tal se deixássemos de contar o tempo dos relacionamentos e passássemos a senti-los? Aproveitá-los? Viver tudo o que este relacionamento pode trazer, ser feliz, crescer e aprender com ele, mesmo que dure três meses, quatro anos ou a vida inteira?

Se com cinco meses de namoro quiser ir morar junto para experimentar, vai. Se com um ano quiser casar com direito a igreja, padre e bolo, vai. Se com dez anos não reconhecer mais a pessoa com quem se casou, saí. Se der pé e o até a morte os separe rolar, melhor ainda!

Contar o tempo, logo ele que é tão efêmero...nos faz perdê-lo, envelhece e causa rugas. A vida é pra já, e o tempo perdido vale ouro!


Luciana está tentando escrever as quartas e já viveu relacionamentos de dois meses a alguns anos e considera todos válidos, pois aprendeu muito com eles e foi feliz, mesmo sem pretensões de eternidade. E, vivendo de bons momentos, tudo tem dado certo.

2 comentários:

Sidney disse...

Concordo, não se avalia um relacionamento pelo tempo que durou, mas sim, o quanto intenso ele foi ou ainda é.


Luciana Piovesan disse...

Isso mesmo Sidney, pelo tanto de alegrias e crescimento que ele trouxe para a vida da gente!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...