domingo, 5 de setembro de 2010

Coisas Estranhas - parte II


Ainda pensando em coisas estranhas, lembrei de um fato que ocorreu comigo tempos atrás.

Duas amigas me convidaram, num sábado à noite, para ir a uma festa de aniversário do amigo-de-sei-lá-quem. Como eu estava "solteirinha da silva" aceitei o convite na mesma hora, empolgadíssima.

Caprichei na maquiagem, pus uma roupinha bacana, subi num saltinho básico (10cm) e lá fui eu, me achando toda linda...

Eu e minhas amigas fomos de carona com um conhecido de uma delas.

Acontece que a festa era em uma chácara no fim do mundo... E, para piorar, a tal chácara era tão escondida da civilização, mas tão escondida, que até o motorista se perdeu. Ficamos os quatro rodando naquele carro, no escuro, no meio do nada, indo de um lado a outro até conseguirmos encontrar o caminho para o tal lugar.

Chegando lá, me deparo com uma espécie de reunião de família (parecia a Família Addams!): crianças, idosos, bebês de colo (!), homens e mulheres das mais variadas idades, dois cachorros se esfregando nas pernas das pessoas e (juro!) tinha até um papagaio!

A maior parte das pessoas estava com olhares afoitos, rodeando uma mesa comprida (dessas de festa de salão de igreja) cheia de comida. E, o que é pior: empurravam goela abaixo a primeira coisa que conseguissem pegar da mesa...
Além disso, as crianças corriam de um lado para o outro, gritando ensandecidas umas com as outras e as vovós, sentadinhas na frente de um fogão a lenha, faziam tricô...

Nossa! Achei a cena toda muito esquisita...Num primeiro momento fiquei parada, meio que em estado de choque, pensando: "O que eu estou fazendo aqui?"...

Pensei em dar meia volta e ir embora, mas aí lembrei que estava de carona...

Pensei, então, em chamar um táxi, mas aí percebi que o celular estava sem sinal e, além disso, me dei conta que o taxista não conseguiria achar o caminho daquele fim de mundo.

Por fim me resignei... Não era bem o que eu tinha em mente para um sábado à noite mas, enfim, era o que me restava...

Acabei me enturmando com os amigos das minhas amigas e um deles não saiu mais do meu pé... Onde eu estava, lá estava o sujeito, com cara de cachorrinho sem dono, tentando puxar papo...

Lá pelas tantas eu comentei que estava cansada e ele, prontamente, muito gentil (e, obviamente, cheio de segundas, terceiras, quartas intenções...), se ofereceu para me levar para casa.

Aceitei a carona, desesperada por sair aquele lugar esquisito.

No caminho para minha casa, o sujeito começa com aquele papinho de conquistador barato...

"Sabe que eu adorei conhecer você?" "Nossa! Como é que eu nunca havia lhe visto antes?!?!?" "Onde é que você se escondeu esse tempo todo?" e por aí vai...

E eu, firme e forte, aguentando a "noite do pesadelo"...

Até que o pior aconteceu.

Chegamos na porta da minha casa e ele, como uma última cartada para ver se eu cairia no seu papo, larga essa:

Ele: "Sabe que quando você chegou eu fiquei encantado! Achei você muito linda, muito simpática e super DESENGONÇADA..."

Hã?!?

Eu: "Desengonçada?!? Eu?!?"

Ele: "Sim, sim...Achei você super desengonçada...Super simpática...Logo se enturmou com todo mundo"

Eu, completamente estupefata: "Hã... Será que você não quis dizer 'desinibida', por acaso?"

Ele, com cara de quem não entendeu: "Desini...o quê?"

Eu, já com vontade de rir da situação: "Desinibida..."

Ele, todo cheio de si: "Não, não...desengonçada mesmo! Achei você super desengonçada com essa simpatia toda!"

Aaaaaaaaaaarrrrrrggggggggghhhhhhhhhhhhh!!!!!

Gente, eu juro que é tudo verdade!!!!
Isso, de fato, aconteceu!

O sujeito REALMENTE me chamou de desengonçada a título de elogio!!!!

Socorro!

Déia escreve aos domigos, JURA que essas coisas sempre acontecem com ela e está doidinha de curiosidade para saber se alguém mais tem essa 'liga' para coisas/pessoas/acontecimentos esquisitos...

4 comentários:

Angel disse...

Que barato! Como assim!? E ele ainda queria que a noite terminasse bem pra ele!? Ninguém merece! Muito boa história!

Elenilton disse...

Hehehe!
Eu devo ser uma pessoa deste tipo, esquisita..mas não faria esse papelão todo do sujeito...
Elenilton

mortosk8 disse...

"Desengonçada."
Se algum dia existir o fim do mundo.
Eu me utilizarei desta frase pra dizer: "É o fim do mundo ser cortejado por um caipira, que nada sabe a respeito da palavra distinção."
Abçs Andréia,
"Seria cômico se não fosse tragico."

Andréia B. Borba disse...

Olá Angel, Elenilton e morto, tudo bem?
Agradeço a vista de vocês e juro que é a mais pura verdade...
Parece piada, mas é sério...
Bjão!
Déia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...