domingo, 10 de julho de 2011

Relatos de um professor

Estava eu a refletir acerca das inúmeras cobranças que recaem sobre os professores, quando acabei por recordar de um fato ocorrido comigo há, aproximadamente, uns 3 anos atrás...
Na época eu lecionava Filosofia para o Ensino Médio e havia um aluno que me preocupava bastante.
O rapaz tinha aproximadamente 16, 17 anos e tinha o (péssimo) hábito de, descaradamente, negar absolutamente tudo de errado que fazia, mesmo que tivesse sido pego em flagrante em pleno ato.
Um horror!
Certa vez eu o flagrei depredando a carteira da escola e, imediatamente, chamei sua atenção.
Ele, contudo, negou veementemente que estivesse a cometer tal ato, afirmando que eu havia cometido um equívoco e que havia sido enganada pelos meus próprios olhos (!!!).
O fato é que ele negava de tal forma que parecia realmente acreditar que eu havia me enganado. Obviamente eu fiquei imaginando se o menino não teria algum desvio psicológico e, na primeira oportunidade que tive (durante uma entrega de resultados aos pais) chamei o pai do rapaz para uma conversa e, na frente do filho que o acompanhava, relatei-lhe o ocorrido.
Além disso, contei ao pai do rapaz que este assumia tal comportamento sempre que confrontado com seus próprios atos.
E, qual não foi o meu espanto, quando o pai do garoto, ao ouvir atentamente o meu criterioso relato, esboçou um largo sorriso, deu três ou quatro tapinhas nas costas do filho e disse, todo orgulhoso:

"Esse guri é dos bons, né profe? Vai ser um excelente advogado! Que nem o pai!".

...

Déia escreve aos domingos e espera que seu desabafo sirva de alerta a certos pais que, sem perceber, criam verdadeiros monstros, que ficarão à solta pela sociedade...

9 comentários:

LuH disse...

Déiaaaaa, tive que rir e ler em voz alta aqui para meu esposo.

Seria trágico se não fosse cômico!!!

Chegou a vez do poste mijar nos cachorros! affff...

Deixa o pai colher esse bom fruto que tá plantando, deixa...

Tava aqui pensando na família que joga o filho na escola e acha que é obrigação do professor educar, se isolando de qualquer responsabilidade, ao mesmo tempo que não dá autoridade para tanto.
Mas esse aí, pelo que parece,nem lá, nem cá, nem em canto algum permite o acesso ás condições sociais mínimas para se viver coletivamente...

Dá pena dessa esperteza!

Abç

Selma disse...

rsss....Tadinho dos advogados.

Andréia B. Borba disse...

Olá Luh, olá Selma!
Luh, querida, sou obrigada a discordar de você.
No meu ponto de vista a situação poderia ser cômica caso não fosse trágica... E o pior é que não será apenas o pai que colherá o fruto que plantou, mas toda a sociedade... Bjs minha querida!

Selma, querida, eu juro que não é piada contra advogados! é um fato que realmente ocorreu... Infelizmente, diga-se de passagem... Bjs querida!

Eduque-Q disse...

Ei Déia!
Não é por acaso que os antigos diziam "Tal pai, tal filho". Vale para o bem e para o mal.
Um abraço,
Sérgio

Carla disse...

Déia, amiga querida !
Já passei por situação parecida e realmente é difícil fazer certos pais enxergarem os desvios de caráter de seus filhos, pois nem os próprios conseguem ver ...
Mas como você, eu também sempre falo, pelo menos me tira o peso das costas, hehe.

beijo lindona saudade de você !


PS: Não consigo postar no seu bloooooog !!!

Andréia B. Borba disse...

Olá Sérgio! Olá Carlinha!
Como vão vcs, pessaos queridas???

Pois é, Sérgio...velhos ditados, por vezes, acabam mostrando-se bastante verdadeiros... Infelizmente... bjs querido!

Carlinha, querida, eu sempre falo as coisas mesmo. Sinto muitíssimo quando os pais não percebem mas...paciência... O que se há de fazer? E, pelo menos, tentei alertar...
Mas o qeu será que está contecendo que vc não consegue postar no meu blog???
Também estou com saudades de vc amada... Bjão!

O Guri disse...

Eu não sei se é uma pena você ser professora, ainda mais de filosofia. Porque eu sou um aluno e é natural da nossa natureza(?) sermos um pouco contrários...

Filosofia...

Acho que isso é pura verdade, mas é dificil entender como um pai pode se comportar assim.

http://umgurientregurias.blogspot.com/

PS: foi dificil pra o blogger aceitar esse comentário!;(

LuH disse...

Oi Déia, então o que posso acrescentar é que entramos em acordo de pensamentos, ainda que não pareça, já que falamos a mesma coisa de modo diferente: eu no meu sarcasmo e vc na sua sabedoria.
Bom mesmo é encontrar educadores de fato; pessoas conscientes de que a educação não é um caminho, mas o caminho.
O desafio está lançado e ele é de todos, com certeza!
:)
Bjs, querida.

Andréia B. Borba disse...

Olá Guri, olá Luh, tudo bem?

Guri, querido, creio que todos somos, vez ou outra, um pouco contrários...
Mas não creio ser uma pena eu ser professora. Amo muito o que faço! E tenho certeza que você gostaria das minhas aulas! ;-) Bjs querido!

Luh, querida, estou looooooooonge de ter essa sabedoria que você menciona... Quanto ao sarcasmo, creio que na indignação do meu desabafo, eu não havia percebido o sarcasmo do seu comentário... Falha minha...hehehehe!
E, sim, de fato o desafio é de todos, certamente... Bjs querida! Déia

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...