segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Quanto querer....


Há alguns meses quando descobri que seria mãe de um menino, tive dúvidas e apreensões.
Desconhecia o universo masculino do lado de cá, sempre o assisti passar pela janela e nunca o compreendi de maneira inerente.
Os homens são lógicos, querem resolver todos seus problemas, não entendem por que as mulheres conversam por conversar e têm certa tendência ao suicídio com seus esportes radicais. Sem contar aqueles que têm dificuldades de expressar suas emoções.
Que medo de ter um exemplar saindo de mim e não saber lidar com sua linguagem, suas ânsias e suas necessidades. Como o ensinarei sobre a vida se nossos interesses serão tão diversos? Se ele vai querer experimentar tudo aquilo que quis distância por toda minha vida? Como então guiar alguém sem a experiência exigida para o cargo?
Em meio aquelas tormentas uma amiga disse que era pra eu relaxar, que bebê é assexuado e não importa o que sejam, são seus filhos. Embarquei na onda e resolvi curtir a maternidade de um bebê, seja ele menino ou menina.
Tive a prazerosa surpresa de descobrir que ser mãe de menino e tudo de bom!
Confesso que devo estar influenciada pela minha prática pois já não sou marinheira de primeira viagem. Isso tornou as mamadas, noites mal dormidas e troca de fraldas muito mais fáceis. Mesmo assim, observei no meu pequeno um comportamento que a minha filha nunca teve. Quando insatisfeita, não havia o que a acalmasse. Com ele, faço o mundo se colorir só com a minha voz e a minha presença. Está chorando? Canto uma musica qualquer e o choro e rapidamente substituído pelo sorriso no olhar que só ele tem.
Estamos apaixonados. Foram 5 meses de relacionamento e amor intenso. E eu estou em deleite.
Ainda há a questão da diversidade sexual. Haverão perguntas que não terei resposta, mas para isso existem os papais, para mostrar a eles o lado lógico do mundo. Eu agora estou aqui para dividir emoções. Só emoções.
Lil escreve aqui esporadicamente.

4 comentários:

LuH disse...

Que texto lindo e delicado, me pareceu sussurros...

Eu, mãe de menina, me pergunto também sobre essa coisa de como é ser mãe de menino, desse universo tão diferente do meu, mas dependente de mim também...

E, bom como tu dizes, só se sabe passando pela experiência e oferetando o que melhor nós mães poderíamos dar: afeto, amor...

Que gentil sua amiga! Que tesouro são amigos que acalmam nossos corações!

Que leandro- seu pé-de-moleque- te dê mto açúcar para adoçar a vida e adoçar-se e que vc continue se derretando na delícia de ser mãe.

Bjo querida, amei ter vindo aqui hj
:)

Lila disse...

Oi LuH, muito carinhoso teu comentário... Adorei! E por comentários como esse que vale a pena vir aqui e externalizar nossos pensamentos e sentimentos!
Fez o dia de uma balzaquiana mais feliz :-)
beijocas e venha sempre, és bemvinda no nosso cantinho!

Anônimo disse...

Oi amiga,

Lindo, delicado e amoroso o teu post... Assim como vc minha amiga! Amei, amei, amei :)
E que coisa mais maravilhosa ver vcs dois apaixonados... lendo teu texto em lembro de ter presenciado essa paixão de vcs, do sorriso no olhar dele qdo te olha... e te digo, não és a única apaixonada por ele não... hehehe! A dinda aqui tb é e sentiu mtas mtas mtas saudades lendo esse post!!!! Tenho certeza de que ele está aprendendo mto contigo e que estás ensinando sobre as emoções a ele! E pelo teu relato e pelo que vivenciei ele tá aprendendo direitinho ;)
Saudades mil dessa família linda que amo mto!
Bjocas
Fabí

Renata disse...

Que lindo teu post! amei!
Bjus!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...