sexta-feira, 11 de abril de 2008

Colocando ordem nas coisas

Eu me lembro que uma amiga me contou uma história, uns dez anos atrás. O melhor amigo dela teve um problema com o computador e mesmo sabendo resolver, por comodidade, chamou um técnico, que foi à casa dele. Resolveu o problema que foi contratado para resolver, e quando foi embora tinha deixado o computador cheio de problemas que não existiam antes. O rapaz se sentou calmamente na frente do computador e começou a colocar ordem nas coisas. A amiga que me contou o caso surtou, xingava, falava do absurdo que era, e o amigo respondeu “A vida às vezes é assim. A pessoa entra na sua casa, avacalha suas coisas, vai embora e no fim é você que tem que colocar tudo no lugar depois.”

Pois é, às vezes eu constato que é uma das coisas mais certas que já ouvi. E detalhe, a gente, que deixa a pessoa entrar na nossa casa, e às vezes até a chama para vir, tem também uma parcela de culpa na avacalhação. Claro que a gente não espera que a pessoa atrapalhe tudo, mas tinha que contar com esta possibilidade. E isso não vale só pra casa, vale principalmente pra vida da gente.

Recentemente descobri que tinha mágoa de uma pessoa por coisas que talvez ela nem tenha percebido que fez. E também tenho muita mágoa de mim por ter deixado a situação acontecer. O fato é que agora estou sozinha em casa, no meio da bagunça, sem saber por onde começar a organizar, ainda apontando culpados (eu e a pessoa em questão). Preciso colocar na cabeça que agora o que importa é arrumar tudo, senão quem vai morar na bagunça sou eu. O que menos interessa nesse momento é quem bagunçou.

É uma coisa que quem pode fazer sou só eu. Acho que vou precisar de ajuda profissional, que neste caso infelizmente não é uma faxineira. Acho que vou precisar mesmo de muita terapia antes de resolver isso comigo mesma. Não pode é ficar do jeito que está.


Sisa gostaria muito de terceirizar esse serviço. Infelizmente não é possível.

3 comentários:

Vivian disse...

Cecilia, a vida é assim mesmo, as vezes a gente se ve no meio de uma bagunça tao grande que nao sabe por onde começar. Mas acho que um bom começo é apenas tentar se organizar, sem ter a preocupaçao de descobrir quem foi o culpado pela bagunça ou nao. Isso nao trará organizaçao, o que passou nao volta mais. Muitas vezes a magoa também nao ajuda e talvez ela possa também ser uma forma de nao conseguirmos arrumar a desordem. Eu sou adepta do ditado que diz que melhor se arrepender do que fez que do que nao fez. Com certeza, o que resultou em desordem teve tb algum momento bom, e nos faz bem manter no coraçao a parte boa e faz a bagunça parecer menos bagunçada.
Bjs e bom serviço.
Vi

Renata disse...

Boa sorte na faxina, amiga!!!
Não é sempre que a gente tem esses momentos de maturidade suprema nos quais o que menos importa são os culpados, vai fundo!
Bjs!!

Angel disse...

Sempre me responsabilizo pelas bagunças de minha vida. Ainda que exista alguém envolvido nisso, fui eu quem deixou essa pessoa entrar e bagunçar, então mãos à obra para arrumar tudo de novo, e sozinha.

No seu caso, independente de culpa, pense que a arrumação servirá para muitas outra coisas, o resultado vai valer a pena.

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...