sexta-feira, 2 de maio de 2008

Nova Lima

Eu nasci em Diamantina- MG, mas cresci em Nova Lima, perto de Belo Horizonte. Quando era criança não pensava muito nisso, mas depois fui vendo várias coisas que faziam com que eu não me identificasse muito com a cidade. Não que seja uma cidade ruim pra se viver, longe disso. Mas eu não me identificava muito. Com 13 anos fui morar um ano em Campos - RJ. Fiquei um ano praticamente indo da escola pra casa, e de casa pra escola, e voltei pra Nova Lima, mas estudando em BH. Passava o dia inteiro no Coltec e praticamente só vinha em casa dormir. Com 17 anos fui estudar em Viçosa, na UFV. Fiz um semestre, tranquei e fui pra Letônia, onde morava em Pabaži, uma vila de 200 habitantes (sim, duzentos) perto de uma cidadezinha chamada Saulkrasti (onde era minha escola; 2.000 - dois mil - habitantes). Depois voltei pra Viçosa, que a cada dia tinha mais minha cara. Amava a universidade as festas, tinha muitos amigos, minha vida era uma farra. Mas chegou uma hora que cansou, e eu ainda tive que ficar lá quase um ano. Aí fui fazer mestrado em São José dos Campos, SP, e lá emendei o doutorado. Depois de 4 anos fui pra Portugal, onde morei na Covilhã por um ano. Agora, há um mês de volta ao Brasil, estava me sentindo totalmente deslocada, sem lugar, sem pertencer nem a Portugal, nem a SJC, nem a Nova Lima.

Bom, estou neste último mês tentando decidir o que fazer. Posso ficar aqui em Nova Lima, já que estou numa parte do doutorado que não preciso estar continuamente no INPE. Posso ir ocasionalmente falar com os orientadores. Mas por outro lado, saí de casa aos 17 anos, e agora, poucos dias antes de completar 29, é um pouco complicado voltar pra casa da mãe.

Andando aqui em Nova Lima, tive algumas experiências que sempre tive aqui: encontrar conhecidos na rua que perguntam como eu vou, como está a volta ao Brasil (até gente que eu não sabia que tinha notícias que eu tinha viajado), encontrar pessoas que eu não sei quem são, mas que me cumprimentam, perguntam quem eu sou e mandam beijo pra minha mãe, outros que não via há muitos anos e que pedem meu telefone pra não perder contato, gente que me trata com indiferença pra depois tratar muito bem quando ficam sabendo que sou filha de quem sou (minha mãe é uma pessoa meio pop na cidade, rs)... Enfim, encontrei coisas de cidade pequena (embora Nova Lima já tenha 80 mil habitantes) com as quais estava desacostumada. Ainda me sinto meio deslocada aqui, porque afinal praticamente só tenho duas amigas em Nova Lima (ambas Mulheres de 30), uma casada e outra que está viajando por um tempo. Às vezes não reconheço a cidade onde cresci. Mas nos últimos dias tive uma certeza, andando de bobeira pela rua, que é este o lugar que eu preciso pra colocar minha cabeça no lugar, retomar minha vida e me encontrar de novo. Pelo menos por enquanto. Assim, depois de anos não me identificando com a cidade, devo agradecer a ela por me receber de volta, num momento que tudo que eu preciso é de um lugar familiar para me recompor. E assim comecei a colocar ordem na minha vida, decidindo ficar aqui durante uns tempos, e isso foi abrindo portas pra que outras coisas se resolvessem na minha cabeça e na minha vida.


Sisa, quase 29 anos, tendo saído de casa há 12, voltou provisoriamente pra casa da mãe e pra cidade onde cresceu. Ela ainda não sabe quanto tempo vai ser, se uma semana ou um ano, mas sabe que é disso que ela precisa agora, e vai fazer o possível pra se readaptar, pro bem da sua sanidade mental, que não andava tão sã assim.

4 comentários:

Toninho Azevedo disse...

Oi, Sisa! Tudo bem? Obrigado pela visita ao meu blog!
O novo blog falará sobre Ordem DeMolay, uma organização da qual participo. Pelo andar da carruagem e a considerar as referências que estamos seguindo (DeRepente 30 é uma delas), será sucesso garantido!
Quanto ao seu post: tudo o que tenho a dizer é "boa sorte", já que a "sábia decisão" foi tomada. Espero que dê tudo certo e que você se (re)encontre!
Beijos!!!

Re disse...

Sisa..seja bem-vinda. Sou fa da Dorothy: there´s no place like home!! Bjs

Angel disse...

Cheiro de casa, de família, de gente conhecida, de intimidade. ´
É um bom lugar pra começar uma faxina que promete ser genial...

Beijos!

Tania disse...

Ciça,
Boa sorte nesta nova fase de sua vida! Também acho que um lugar literalmente mais "caseiro" ainda é melhor para reorganizar a vida. Mesmo que depois você volte a colocar a casa nas costas e sair pelo mundo! Seja bem vinda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...