quarta-feira, 7 de maio de 2008

Desabafo

Maldito tempo. Todo santo dia o raio da agenda me lembra que eu não o tenho, mas que ele está passando. Desconfio que seja uma estratégia desse caderninho, que gosta de ser acariciado com minha grafite e massageado com minha borrachinha branca (a dupla que, dia após dia, vai transferindo coisas que não puderam ser feitas para outro dia, e mais outro, e mais outro).

Fui deixar o cabelo crescer mais uma vez e ele virou uma juba. Como assim? Mas foi ontem que eu cortei! Os fios compridos se revelam soltos pela casa mandando o recado da melena: “olá, corte-me, corte-me, corte-me, prima It”. O micro vai dar pau em breve. Faz tempo que ele vem avisando: “ouw, tô cansado, preciso de atenção, preciso de organização, preciso de upgrade!”. A mala de uma viagem já antiga continua lá, por ser desfeita, depois de ter sido refeita sem ter sido desfeita de uma viagem anterior. Papéis viram pilhas pela casa. Sacolas de coisas deixadas para guardar amanhã viram decoração permanente daquele canto. Há dois meses fiquei de fazer um cartão de aniversário para uma amiga, em nome de vários outros amigos e até hoje ele está lá, lindo apenas na idéia da minha cabeça. Ontem foi aniversário de quinze anos da minha sobrinha e eu lembrei (eu sempre lembro de tudo), mas não consegui tempo pra ligar pra ela. Nunca mais mandei um e-mail para algum amigo de longe só pra perguntar como ele está.

Escolher entre fazer super e lavar roupas ou começar a academia? Ficar me sentindo culpada por resolver ficar meia hora empernada com o amorzinho abdicando de algum “tenho-que”? Pensar em desistir de fazer uma nova faculdade, que eu quero tanto, por imaginar que o único jeito seria raspar o cabelo, ir trabalhar de pijamas e me alimentar de pílulas? Desistir de aprender a tocar violão por estar cansada de levar bronca do professor por não estar treinando em casa? Pensar em desistir deste blog que eu adoro?

Poxa vida, que saco! Tô cansada dessa lamúria, tô cansada de reclamar, tô cansada de viver cansada e mau-humorada. Estou exausta de não ter tempo pra nada, mas de ser engolida pelo tempo a todo instante.

Gisele Lins está exausta e pede desculpas pelo desabafo. Espera continuar escrevendo aqui às quartas-feiras.

3 comentários:

Milena disse...

Ah Gi...
Eu também estou cansada...
E não tô lidando bem com essa falta de tempo também.
Será que tem cura?

Anônimo disse...

Gi,
Não to te reconhecendo??? Cadê a minha amiga que me tirou da rua da miséria e amargura? Amiga oq estes "iras" por ai tão fazendo contigo?
Sabia que toda vez que eu desanimo penso em ti? E na tua força de vontade? E assim levanto todos os dias as 5h para ir trabalhar.
Ânimo amiga, e qd vier pro RS vem para carregar as super baterias "gigianas".

Beijokas mil amiga e qd quizer um papo descomprometido, ME ENVIA UM E-MAIL PÔ!
HEHEHEHE

ALE
Do sul com saudades SEMPRE!
Agora tua e da Bisca. Avisa ela que vi a Fê na UFRGS e mandou bjs para vcs.

Angel disse...

Eu entendo tudo o que você desabafaou aí.
Também estou um caco, afinal resolvi fazer a segunda faculdade e não é nada fácil esse tantão de coisas por fazer.
O meu quarto também tá caótico, montes e montes de papéis se acumulando.
A diferença é que eu não tenho o amorzinho, que hoje seria mais uma preocupação.
Procure pensar mais no prazer, inclusive nos finais de semana...

Bjos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...