domingo, 24 de agosto de 2008

Recomeçar... mais uma vez

Como escrevi em um dos meus textos aqui do blog. Depois de uma decepção no finalzinho do meu mestrado, resolvi então fazer um outro mestrado, mudar um pouco de área, refrescar a cabeça, RECOMECAR! Foi uma decisão um pouco drástica, afinal bolsa de mestrado não é lá essas coisas mesmo aqui na Noruega. Mas eu precisava dessa mudança.

Eu já estava quase na metade desse meu novo mestrado, quando tive que tirar uma pausa pra cuidar de Isabella, minha filhinha que tinha acabado de nascer. Era um dia normal como outro qualquer, eu estava trocando fralda no banheiro, quando meu telefone tocou. Número desconhecido. Resolvi atender, afinal devia ser algum vendedor, e hoje eu iria com certeza mandar o cara para a pqp.

-Alô.
- É Liz C. que ta falando?
- Sim. (como que esse fdp descobriu meu nome?)
- Aqui é o A.B.* do instituto de SR*.
-Sim. (hummm eu conheço esse nome, sim, ele? heim? Por que esse cara ta me ligando?)
-Surgiu uma nova vaga no instituto, você está livre no momento?
-Eu? Hummm (Olhei pra Isabella deitada no trocador, será que estou livre? Acho que não... humm que bosta!) – vocês estão precisando de gente pra agora?
-Sim, pra agora.
-(C%####*O ) Infelizmente no momento não posso.
-Ok tudo bem tchau.

Heim? Heim heim? Passei 10 minutos sem entender nada. A ficha foi caindo aos poucos. Este era um emprego que eu tinha mandado meu currículo no ano passado, tinha participado de várias entrevistas, fiquei entre os três últimos candidatos, mas acabei não conseguindo a vaga. Lembro que eles falaram que iam guardar o meu currículo e que no futuro poderiam me ligar. Claro que eu achei que isso era ‘conversa pra boi dormir’ e que eles só estavam falando isso para serem educados. Mas não, era verdade, o cara tinha me ligado. No início eu fiquei chateada, caramba agora vocês me ligam? Depois fui passando para uma fase de orgulho. Pôxa, eles me ligaram, que legal! Eu sou interessante! Tive que ficar orgulhosa, pois este era um emprego muito bom, o pessoal era de alto nível. Mas fazer o quê se o ‘timing’ não foi bom? Depois de alguns dias, fiquei pensando... Não posso perder essa oportunidade. E mesmo achando que o caso já estava ‘perdido’, resolvi mandar um e-mail para o cara e fazer a minha oferta. Eu poderia começar daqui a 2 meses. Foi com grande surpresa que recebi um outro telefonema dele, me chamando pra ir lá conversar com eles. E a gente acabou chegando a um acordo, eu começaria dentro de 2 semanas, mas iria lá apenas 2 vezes na semana e poderia sair mais cedo pra amamentar. Perfeito!

Então mais uma vez eu teria que RECOMECAR. Juntei minhas garras, minhas forças e tentei não ter medo do novo, mais uma vez. Hoje estou aqui, no trabalho mais legal que eu poderia ter. Depois de 4 meses do qual os dois últimos estou trabalhando 100% e não só 2 vezes na semana como no começo, posso dizer que realmente estou feliz. É muito bom trabalhar com o que a gente gosta, melhor ainda num ambiente tão legal e saudável, com pessoas que te apóiam e te estimulam.

* Os nomes não foram publicados para não expor as pessoas envolvidas



Atenção! Liz adverte, trabalhar com o que você gosta em um ambiente de trabalho legal, FAZ BEM À SAUDE!

3 comentários:

Renata disse...

Puxa, Liz! Fico muito feliz por ti! Tomara que cada vez mais pessoas possam ter acesso a essa "medicação"!
Bjs!

Daniela disse...

Liz, parabéns! Torço muito por você daqui. Sei que não é fácil deixar a pequenina para "recomeçar", mas pode ter certeza de que vale a pena. Para você e para ela, que já deve estar orgulhosa da mãezona que tem!
Bjs,
Dani

Angel disse...

Que ótimo! Sucesso!
Sua saúde ficará bem mesmo...
bjo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...