terça-feira, 5 de maio de 2009

Tempestade

Quando o vento me carrega
E pelo ar eu velejo
Vôo, danço, fico cega
E ouço o rumor do teu desejo

Me rebelo, me solto e, furiosa
Me rolo, enrolo, trovejo!

Caem raios e trovões
Eu transbordo, não gotejo
Enquanto abraço, escrevo, amo
Danço, durmo, beijo
Sou eu mesma, não te engano
Despenco no mar e ondejo
E ondejando eu vejo o céu

Hoje
Na via Láctea tem festejo.

Renata anda ressuscitando lembranças de outras épocas, e acabou encontrando um poeminha despretensioso e gostosinho. Espera que vocês gostem também!

2 comentários:

ZAZÁ LEE disse...

Olá meninas!
Adorei o que li por aqui!
Como não sou muito apegada ás palavras, busco sempre pessoas que as tem em abundância. especialmente mulheres.
Gosto da linguagem da mulher contemporânea.
Sou das cores, das fotos, das formas.
Sigam o meu blog pois assim muitas pessoas poderão saborear seus textos.
Tb queria pedir permissão para publicar o que postaram. Claro que com os devidos créditos!
Uso muito meus trabalhos unidos ás palvras de outros mais bem preparados.
Parabéns.

Bj

Milena disse...

Muito, muito fofo Rê =D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...