sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Estar Sob os Holofotes


Tem gente que gosta de estar sob os holofotes, outras desejam loucamente estar sob os holofotes. Não é o meu caso. Nunca quis aparecer assim, sempre achei que o jeito mineiro de ser é o melhor jeito. Come quieto que tudo dá certo. Não foi nem uma, nem duas vezes que algum projeto meu desandou e eu acho que é porque tinha gente demais sabendo dos meus planos. Aprendi a calar a boca. Custou, mas aprendi. E agora ninguém fica sabendo de nenhum projeto profissional meu até que ele saia do papel. Assim, fico fora dos holofotes. Vou em frente, caladinha, trabalhando sem alarde. Feliz da vida!

Só que infelizmente a discrição não depende só da gente. Um belo dia, num salão lotado, uma pessoa inocentemente e na maior boa fé resolve te elogiar. Ai, Jesus! Você fica se sentindo portador de transtorno bipolar, sabe? Uma alternância de alegria e tristeza. Pronto! Os holofotes estão sobre você... Justo você que nunca quis estar naquele lugar.

E D REPENTE (momento merchandising) eu me vi no centro das atenções. Se fosse a atenção de pessoas boas, que querem o meu bem, eu não me importaria. Mas a realidade é que são poucas as pessoas que querem o seu bem. Duvido que dê pra contar nos dedos das mãos. E foi aquele monte de falsos parabéns vindos de pessoas que nem de longe querem o meu bem. Ouvi aquele “você merece!” despeitado que dá até medo!

E desde então, já faz mais de um mês, que eu estou sob os holofotes. Sinto que todos os meus passos são acompanhados por muitos olhos lá na empresa. Vejo corretores e gerentes contando minhas reservas em cada empreendimento, prestando atenção em minhas vendas. Querem saber para qual empreendimento eu estou direcionando minhas energias, conferem as escalas de trabalho para saber se os coordenadores de produto não estão me privilegiando nos plantões, ficam de olho na hora da distribuição de material pra ver qual e quanto material eu estou pegando. Como se o resultado do meu trabalho fosse fruto de algum privilégio e não porque trabalho mais de dez horas por dia, sacrifico fim de semana, peço compreensão pra minha família e até furo com o blog.

Quem me conhece há mais tempo sabe o tanto de merda que já passei, o tanto de capim seco que já tive que engolir. Foi tanto que meu lema virou “o que não mata, fortalece”! Eu chego a me achar o Wolverine fêmea!! E fica nego aí achando que porque eu tenho a cara bonita, ando arrumadinha e graças ao bom Pai tenho família e berço que não sei o que é passar aperto e tudo que eu sou/tenho caiu do céu!!

Enfim, estar sob os holofotes tem me incomodado deveras. Só que pelo visto tá incomodando mais gente. E olha que eu já declarei aos quatro ventos que não tenho o menor interesse em ser gerente, coordenadora, nem nada que o valha, porque stress por stress eu não teria largado o Direito, teria feito concurso e estaria ganhando meus vinte mil por mês!! Mas, como quase ninguém entende mesmo minhas motivações na vida (às vezes nem eu, confesso rsrs), não é de se esperar que gente que gasta tempo se preocupando com a vida alheia compreenda.

Comentando estas coisas com minha irmã, ela disse uma coisa que na hora me chocou, mas acaba que ela tem razão. As pessoas nos perdoam por sermos gordas, feias, burras, chatas, solitárias e insatisfeitas profissionalmente, nos perdoam por termos relacionamentos destrutivos; mas experimente ser feliz, ter sucesso pra você ver!! Ninguém te perdoa por ser feliz. Ninguém perdoa o seu sucesso. E isto só faz com que eu fuja cada vez mais dos holofotes. É o que eu estou tentando fazer agora.

Laeticia é obrigada a concordar com Tom Jobim: no Brasil, sucesso é ofensa pessoal.

3 comentários:

Carla Cyntia disse...

Minha amiga doutora,

As pessoas não conseguem engolir que temos essa capacidade de rir na e da vida mesmo nos piores momentos, batalhar, e trabalhar muito e ficam só preocupando em nos seguir, observar, quisera fosse para aprender, admirar ou se alegrar, mas não, mas por puro despeito e incapacidade de serem alguém.

Que Deus nos proteja sempre e que esses olhares nos fortaleça ainda mais.

Conte sempre com nossa amizade e orações.

Bjs

Dennia disse...

Pois é Laetícia... há mesmo aqueles "urubus de plantão", mas sei também que olho gordo de urubu não atinge beija flor!! rsrs
O que importa é que os amigos, mesmo à distância, enviam vibrações positivas e torcem verdadeiramente para o seu sucesso.
Amo vc sumidona!!!

כרלה רוזלי disse...

Tomara que eu seja a pessoa que falta pra vc completar os dedos das duas mãos. Tomara que eu seja já a primeira pessoa da sua terceira mão: sim, eu desejo a sua felicidade. Do mais fundo do meu coração!!!!! E quer saber, tomara que vc seja tão feliz quanto eu. Pq eu sou do tipo que joga a felicidade na cara alheia, pq isso não é motivo nenhum pra vergonha. Que culpa a gente pode ter de saber viver e dar valor às coisas certas???

Ah, só uma coisa que sua irmã esqueceu de falar: as felizes não são bem vistas, mas são toleradas. Já as magras...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...