sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Quem doa sangue, doa vida

Eu sempre doei sangue. Era louca pra fazer logo 18 anos e começar a fazer minha parte pelos outros. Mamãe sempre foi doadora, e eu sempre achei um charme isso de poder fazer alguma coisa tão nobre pelos outros por tão pouco.

Ainda é impressionante a cara das pessoas quando você chega pra doar e perguntam pra quem. “Pra ninguém específico não”. É, a maioria das pessoas só se lembra de doar sangue quando algum conhecido precisa. Claro que também tem seu mérito! Mas o bom seria as pessoas terem o hábito de simplesmente doarem, pelo gesto. Sangue é uma coisa que não sobra nunca nos hemocentros!

Toda vez que eu vou doar, passo por uma situação engraçada. Minha pressão é extremamente baixa (8:4) e assim que medem, já me sentam numa cadeira falando “Ela vai desmaiar!” enquanto eu explico que não, é isso mesmo. Mesmo quando eu aviso que é baixa, ainda assim não esperam tão baixa. O inconveniente disso é que realmente demoro muito pra conseguir tirar uma bolsa de sangue, mas vale a pena. Mas enfim, adoro doar sangue, eu sinto que faço minha parte pelos outros.

A vez mais emocionante foi quando me ligaram pra ir doar, porque um senhor viajou mais de 200km de ambulância porque eu era o único AB- da região, e ele já estava tão mal que os médicos queriam que ele recebesse um do tipo exato (não entendo nada disso, foi assim que me explicaram). A enfermeira avisou que ele estava em estado terminal, que eu podia decidir entre doar ou não, sabendo que ele não tinha cura. Era só para aplacar um pouco a dor dele, que estava nos últimos dias de vida. Claro que doei. Depois a família perguntou se eu queria ir conhecê-los, mas eu só mandei pra eles meu abraço e desejo de muita força, porque era um momento que eles deveriam estar juntos, eles e o ente querido, sem nenhum estranho invadindo aquele momento delicado. A enfermeira disse que eu fiz a escolha certa de deixá-los. O que eu poderia fazer já tinha feito, e o sangue estava sendo preparado parar ser imediatamente transferido.

Atualmente não posso doar sangue. Adoraria dizer que é porque peso menos de 50kg, mas infelizmente é por outra razão, rs. Por motivos que eu não entendo, quem passou mais de um certo tempo em alguns países precisa ficar 12 meses sem doar. Portugal incluído, de forma que eu preciso esperar 7 meses pra doar novamente.

Por quê eu estou escrevendo isso aqui justamente hoje? Porque minha avó recebe sangue frequentemente. Felizmente nunca tivemos problemas em encontrar doadores, mas estes dias está sendo problemático sim, por causa da vacina contra rubéola que tanta gente tomou. Precisa esperar 28 dias antes de fazer doação. Então gostaria de pedir para quem estiver lendo aqui, e for da região de BH, se puder por favor colaborar. A doação deve ser feita no Hemominas, no nome de Maria José Barbosa. O “hospital” é o próprio Hemominas. E quem não for de BH? Procure o Hemocentro mais próximo da sua casa. Neste caso, a doação não será feita para minha avó, e sim para outra pessoa que também precisa, e que também tem uma família procurando doadores.

Lembrem-se: quem doa sangue, doa vida. Mais informações sobre quem pode doar, clique aqui.

Sisa já pediu pra alguns amigos doarem e está feliz por ver que pessoas que ela não achava que fossem ser tão prestativas se ofereceram. As que não puderam, espalharam a notícia. Espera que este blog sirva desta mais mais do que um divã: que sirva pra conseguir mais sangue pra avozinha e pra muito mais gente que está precisando por aí.

4 comentários:

Carla disse...

Sisa, infelizmente não posso doar por causa da vacina e está sendo realmente um problema pq o marido de uma amiga nossa precisa de 28 doadores com urgência aqui em Betim e todas as pessoas que conhecemos tomaram a bendita vacina tb!!! Mas é isso aí, muito importante seu post!!! E se eu conseguir mais doadores peço para doarem para sua avó tb!!! Beijos

Lekkerding. disse...

Eu não costumo fazer voluntariamente nada que envolva agulha em mim. Simples: eu tenho pavor de agulhas e de coisas quentes perto de mim. Não é algo agradável de fazer, mesmo por uma boa causa - doar sangue é uma ótima causa, mas pra mim, enquanto não inventarem um processo livre de agulhas pra isso... É ruim.

Mas... Se você quiser e/ou precisar, peça. Eu passo por cima e vou sim.

Rosi disse...

Ainda não doei sangue por pura falta de oportunidade (sim, isso pode parecer desculpas, mas é verdade). Louvável sua atitude!

Angel disse...

Mais uma coisa que temos em comum. Também adoro doar sangue. Ultimamente estou de "quarentena". Fui barrada da última vez que tentei doar e sempre doei voluntariamente.
Estou um tanto brocha com esses requisitos da doação. Já fui barrada várias vezes por "n" motivos. Mas continuarei insistindo, no ano que vem.

bjos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...