sexta-feira, 25 de julho de 2008

Uma e outra

Eram meio diferentes. Uma tinha 12 anos, a outra tinha 11. Uma magrelinha e outra gordinha. Uma romântica e outra ainda desligada do assunto “meninos”. Uma sonhava com festa de 15 anos, a outra achava debutar uma coisa totalmente sem sentido. Uma gostava de português (ela talvez não soubesse, mas ia gostar tanto que ia formar em Letras), a outra de matemática (ela ainda não sabia, mas ia gostar mesmo era de Física). Mas também tinham afinidades. Eram boas alunas. Gostavam de conversar. Ficaram muito amigas. Nem a distância deixou a amizade pálida. Engraçado, né? Tem gente que fica tempos sem se ver e quando encontra, é como se visse todo dia.

Passou um tempo, e uma estava sempre namorando. Namoros longos, sérios, com namorados que iam na casa dela. A outra estava sempre perdida entre casinhos que acabavam antes de começarem. Uma tinha sempre uma listinha de pretendentes. A outra sempre foi meio desajeitada nesse assunto de fazer charme. Até que uma delas conheceu o Namorado. A outra continuava perdida entre os casinhos. As duas passaram no vestibular. Uma fez o curso tendo o Namorado por perto. A outra, nem precisa dizer, fez o curso apaixonando e desapaixonando toda semana, em uma cidade onde ninguém é de ninguém.

E assim muitos anos se passaram. Uma se casou com o Namorado e teve uma filha linda, a outra achou que tinha encontrado a pessoa certa. Não tinha. E mesmo de longe, uma consolou a outra por e-mail.

Até que em uma tarde de visita, entre um pedaço de cachorro quente e outro de bolo, elas conversaram um tempão. Uma ouvia a outra contando da sua vida sentimental totalmente atropelada. Depois de ouvir pacientemente e com atenção, deu seu parecer, sua opinião, seus conselhos. A outra foi embora pensando no caminho: o que faz alguém que sempre teve uma vida sentimental “normal”, que nunca encontrou um babaca emocional pelo caminho e nem meteu os pés pelas mãos conseguir entender tão bem o que vai no coração de uma pessoa que só se mete em roubadas? Afinidade? Coisa de alma? Não sei. Mas seja o que for, com certeza é responsável por manter intacta, sem uma briga sequer, uma amizade que já dura 18 anos.

Sisa ontem foi colocar as fofocas em dia na casa de Vanessa, e, como sempre, adorou estar na companhia de alguém que ela tem certeza que a entende, mesmo vivendo uma realidade totalmente diferente da sua.

9 comentários:

RêFi disse...

Acho que algumas pessoas podem ver a nossa alma!! rs... ok, meio brega né?! Mas acho que é verdade! Alguns amigos, mesmo que nos critiquem, falam coisas que nos abrem os olhos e nos ajudam muito!! É bom ter amigos assim, eu sei que eu tenho! Parabéns por ter também!!

Beijos...
Rê F.

Gisele Lins disse...

Cada vez mais a vida me ensina que estes são os verdadeiros e melhores amigos: não importa o tempo, a distância, o que aconteceu na vida de um ou outro.
Saudade dos meus que me deu!
Um beijão Sisa!

Anônimo disse...

Oiii
adorei a história!!
Acho que dá pra acreditar em destino, ou será a tal lei de atração???
Putz seria improvavel que uma mulher que quer um amor de filme atrair só casos passageiros??

bjuss Carol

Bridget Jones disse...

Eu e Lee temos isso. Parece até que vc tava falando da nossa amizade, sabe? Coisa gostosa amar alguem aponto de saber q ela é a irmã que vc escolheu...

Júlia Rodrigues, Maíra, Bárbara, Fernando, Wander, Michel disse...

OI sisaa...qu elindo que ficou seu texto, no meio do texto já sabia que era a Vanessa.


MAs colegas a gente tem aos montes, amigos são esses que nos apoiam mesmo distantes, que nos empresta os ouvidos para escutar as nossas tormentas..

Muito bom..

Bjus. Júlia

P.S; passa la no meu!,

Lekkerding. disse...

Afinidade.
Coisa tão gostosa, quando acontece, e continua acontecendo. Quando você simplesmente aceita o olhar do outro. Quando você sente as coisas do outro em você. Click, assim. Conexão básica pro ser humano...
Amizade tem vários e vários requisitos, mas eu diria que este é o tijolo-base. O click instantâneo, a conexão com a outra pessoa, elo formado que só fortalece, à medida em que os outros requisitos vão se preenchendo e se confirmando.
É lindo ter uma amizade assim. E quem dera todos tivessem esses amigos.

Angel disse...

Amizade é tudo de bom. Nela a gente sente o amor puro, firme, duradouro. Adoro isso!
Parabéns por tão longa e bela amizade!

KK disse...

Acho que a que não casou tem o coração no mundo e no mundo é q vai encontrar seu amor...Não no seu lar, no abrigo dos seus...
Já o deve ter encontrado...Falta render-se... :)

Renata disse...

Adorei o texto! E como vai a aplicação dos conselhos?? Hehehe!
Beijão!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...