terça-feira, 15 de julho de 2008

Elas e Eles em Quadra

Há tempos atrás, quando namorava um amante do futebol, assistia muitos jogos, tanto oficiais quanto as famosas “peladas”. Confesso que até me divertia, mas tinha preferência pelo futebol de salão. Acho mais dinâmico e mais próximo do público, o que facilita o acompanhamento dos acontecimentos.

Na última semana fui a uma “pelada”. Torci e me diverti, até mais do que em outros tempos. Talvez por não haver, em quadra, um ser com quem eu tenha mais do que uma amizade.

Também participei de uma “pelada” feminina nessa semana. Eu explico. Uma colega de trabalho teve a doce idéia de juntar um bando de mulheres para jogar Queimada. Sim, Queimada. Quando eu soube disso e soube também que ela estava reticente em divulgar a idéia, tratei de fazer isso. E foi um sucesso. Juntamos mais de vinte mulheres e jogamos duas horas de Queimada. Jogamos, em termos, eu joguei só uma hora... não agüentei a gritaria... kkk.

Bem, nesse post quero retratar as semelhanças e diferenças das duas situações: elas e eles em quadra.

Eles transformam-se em quadra. Reclamam, xingam, brigam, não se entendem e ainda fazem gols... e saem se abraçando depois disso tudo. É engraçadíssimo! Eles não riem de si mesmos como nós, pelo menos não presenciei isso. Alguns deles são “fominhas”. Querem ver a bola dentro do gol a qualquer custo. Isso também é engraçado! E eles jogam com muita freqüência, não se sentem doloridos no dia seguinte, a não ser por uma porrada extra.

Já elas, quer dizer, nós também reclamamos, xingamos, porém com mais humor que eles. Rimos de tudo, de todas as meninas queimadas, rimos de perder e de ganhar. Mulheres “fominhas”? Sim!!!! Aquelas que entram na frente da bola porque ela é quem tem de queimar alguém. Também é engraçado. E irritante. Afinal é uma brincadeira e todas querem seus segundinhos de atuação. Como um surto de Queimada surge de tempos em tempos, junte o sedentarismo de algumas e a teimosia de muitas em não se alongar antes das atividades, e no dia seguinte a cena se repete: elas utilizam o elevador até para subir um andar. Dói tudo por uns dois ou três dias. E da próxima vez haverá alongamento? Provavelmente não. Talvez se elas adotassem essa “pelada” como religião, assim como eles fazem com o futebol...

Capítulo à parte é a torcida. Elas, quando assistem eles em suas “peladas”, ficam tímidas, quase não se manifestam, embora estejam loucas para soltar todo o galinheiro. Enquanto eles, na torcida, são divertidíssimos. Mesmo porque elas fornecem todos os motivos para a diversão. Um jogo de Queimada com mulheres que não se arriscam nisso há muuuuiiiiitos anos é diversão garantida em quadra e fora dela. E eles se manifestam sem pudor. Tanto que preferi ir para o lado deles, rir também...kkkk.


Angélica divertiu-se nas “peladas” em que esteve. Constatou que elas sabem se divertir até com os erros e eles fazem de cada “pelada”, “O jogo”. Torce para que eles e elas estejam cada dia mais próximos pois há muito o que ensinar e aprender juntos.

2 comentários:

Júlia disse...

Mulher é bem diferente do homem...

MAs é muito bom jogar queimada ne??? Agora tem que inverter vcs tem que jogar futebol..e os homens queimada..aí que vcs vao rir de vcs mesma!!!

abraços...Júlia

Gisele Lins disse...

Adorei a idéia, Angélica! Vou propor para a mulherada daqui um jogo destes!
Um abração para você!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...