quarta-feira, 23 de julho de 2008

Fetiche Feminino

Existem coisas do universo feminino que são difíceis de entender. Uma delas é a relação entre mulheres e sapatos.

Eu, por exemplo, não faço muito o tipo cocotinha, patricinha, sempre nos trinques. Até que ando bem arrumadinha: para trabalhar faço um estilo mais clássico e pra descontrair faço um estilo despojadão esquisito, mas que eu gosto bastante. Odeio comprar roupas. Não que eu não goste de tê-las, apenas odeio comprá-las, pois eu sou muito chata para isso, fico calculando o custo benefício, olhando a qualidade das costuras, pensando no resto do guarda-roupa, evitando modinhas, e por aí vai. Sou daquelas que, sim, baixa a loja inteira e não leva nada se não gostou. Tanto que neste findi acabei ouvindo da minha própria mãe que nem a pau ela iria ver vestidos de noiva comigo, mesmo que eu tenha guardado este “evento” durante semanas para fazê-lo pela primeira vez com ela. Magoei, mas é verdade, minha relação com roupas e afins é mesmo um porre.

O mesmo não se aplica a sapatos. E agora tenho certeza que comigo e com a maioria das mulheres da face da Terra. Passamos uma semana organizando uma excursão para Jaú, terra de um grande amigo, mas mundialmente lembrada como “O Paraíso” da mulherada. Lá existem dezenas de fábricas de sapatos, a maioria femininos, e um shopping com umas cem lojas de fábricas com tudo bem mais barato do que em qualquer outro lugar. Jaú fica a 200 km de onde eu moro. Alugamos uma van e partimos às sete e meia da manhã rumo à “Paraíso”, nós, quatorze mulheres.
Caros namorados, namoridos, ficantes, amázios, maridos e afins, sinto muito: esse é um programa para mulheres em um lugar para mulheres. O qui qui qui da viagem já é muito divertido, e só acontece quando estamos apenas entre nós mesmas. A praça de alimentação é basicamente equipada com comidinhas leves e doces, o cardápio feminino perfeito. As que se aventuram com os queridinhos são vistas como coitadas pelas outras, pois em breve ele não vai agüentar mais, além de ficar atravancando o caminho da trupe feminina dentro das lojas. 

Mulheres se entendem, mesmo se engalfinhando temos um certo código de conduta: não calça o mesmo número que eu? Há tá, então dou uma licensinha, olha só que lindo aquele ali! É a sua cara! Agora quer coisa mais chata do que um homem constrangido e com cara de pamonha entediada bem em frente àquele último escarpam de bolinhas 36? Pobres moços. Mais coitados ainda são os que têm a triste idéia de achar que este é o lugar perfeito para “caçar”, dada a enorme concentração de mulheres por metro quadrado do local. Do nada apareceu uma excursão com uns quinze guris tatuados e bombados no shopping que nós estávamos. Foi no mínimo bizarro, destoante do momento. Não sabemos qual era o objetivo deles (afinal eles poderiam ser estudantes de moda e estar avaliando tendências). Porém, se a intenção era de “caçar”, coitados! Neste momento sublime de comprar sapatos nada, absolutamente nada (a não ser um sapato mais interessante) é capaz de chamar nossa atenção. Considere ainda o fato de irmos para o “evento” preparadas para a guerra: roupa confortável, cabelo preso, rasteirinha e cara limpa, muito longe de como nos sentimos gatinhas.

O motivo do frisson feminino por sapatos eu desconfio que seja o fato de que, sejamos gordas, magras, altas, loiras, morenas, ou como formos, sapatos lindos ficam lindos em qualquer uma, em qualquer estado de auto-estima, em qualquer estação. Seja este ou não o motivo da paixão tivemos um ótimo passeio, em ótima companhia e com boas risadas. Tenho certeza que até mesmo para as que não encontraram o que esperavam ou queriam. Como seqüela fica a “moeda sapato” por um bom tempo: “o que, esta blusa custa duas sandálias de Jaú? Nem a pau!”.

Gisele Lins sem nem se sentir culpada por ser confundida com uma centopéia pelo namorido, e assumindo totalmente seu fetiche, está feliz da vida com sete sapatos novos. Escreve aqui às quartas-feiras.

4 comentários:

Liz disse...

Ai meu Deus finalmente alguem que me entende. Sou exatamente assim, nao gosto de comprar roupa, e nem sou patricinha mas... amo comprar sapatos. Tenho um bocado de botas e meu marido sempre fica reclamando 'Outro sapato?? e vc precisa?' aahhhh!
Fiquei morrendo de inveja da sua viagem ao paraiso dos sapatos :)

Angel disse...

Também estou aqui me retorcendo de inveja. Eu quero ir a Jaú o quanto antes...

Para concordar com vocês duas, também morro de preguiça de compras, mas sapatos são sapatos... eu amo!

Beijos!

Renata disse...

Gi! Mais sete?!?! Hehehe!
Tá, me senti um patinho descalço....odeio comprar sapatos!
Agora vou precisar de terapia!
Beijos!

Anônimo disse...

Não são só vcs, meninas, que gostam. Eu adoro botas longas de salto alto fino. Ficam lindas com vestidos, saias, e tudo mais. E não sou homo nem bi. Bjs!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...