sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Diário de um viajante

Uma das coisas que eu quero fazer aqui é um diário de viagens. Daí que com o texto da Vivian eu me empolguei e acabou saindo este aqui.
Sem ordem de data nem de preferência, ok?
Pegue sua mochila, seu kit de sobrevivência, boné, protetor solar, lápis e papel, e desfrute!

Ilha Grande - Bacia de Angra dos Reis - Rio de Janeiro - Brasil

Primeiro de tudo, a Ilha é realmente grande!
Dizem que se você quiser dar a volta à pé - claro, desde que você seja um profissional em trekking e hiking - pode levar de 7 a 10 dias!
É óbvio que não sei se a informação procede. Mas que me assustou, assustou!
O máximo que fiz à pé foi o trecho entre a Praia do Pouso e Lopes Mendes, que dura uns 20 minutinhos...
Mas voltemos à Ilha. Ao chegar em Angra, no Cais de Turismo, estão os saveiros que fazem a travessia. Também tem uma balsa oficial, mas os horários são meio estranhos.
Os saveiros são legais, mas sempre que eu fui eles passaram longe de serem pontuais.
Tá, tudo bem, é um passeio... Deixemos de lado a falta de pontualidade das pessoas por hora.
A travessia dura algo em torno de 1:20h, dependendo de quão agitado está o mar.
Já é um passeio bem bonito.Ao chegar à Ilha (no meu caso na Vila de Abraão) é hora de encontrar o lugar que foi reservado com bastante antecedência (no meu caso também, que sou desesperada).
Nas duas vezes em que lá estive me hospedei na Pousada do Holandês (que é um albergue da rede mundial de albergues da juventude). Excelente.O café da manhã é sensacional.
Depois de se acomodar e de descansar é hora de voltar ao cais (o hostel fica a uns 15 minutos ladeira acima, mas pra descer é mole, mole.. rs) e escolher o seu passeio do dia.
Nessa hora é importante saber algumas coisas:- Os barcos saem todos do mesmo lugar, entre 9:30h e 11:00h. Raros barcos saem antes ou depois disso.
- Os barcos cobram o mesmo preço para o mesmo passeio. Isso é importante porque existem barcos de vários portes e com várias velocidades. Algumas pessoas tendem a achar que as traineiras são mais baratas que os saveiros ou as escunas, mas não, elas só são mais lentas e cabem menos pessoas.
- A maioria dos barcos retorna para o cais entre 17:00h e 18:30h (com raras exeções). Isso é importante para você conseguir voltar para o continente, no seu último dia de viagem. A travessia começa às 17:00h. Se o seu passeio atrasar.. imagine a correria!
Pronto. Uma vez escolhido o barco e o destino a diversão está garantida.
Alguns passeios que recomendo veementemente:
- Lagoa azul, Lagoa Verde e Japariz. Geralmente um dia inteiro de snorkel. Provavelmente muitas estrelas do mar, alguns peixes coloridos e algumas conchas.
- Cachadaço e Dois Rios. Difícil ter barco para lá. São praias de mar aberto. Lindas e quase intocadas. Em Dois Rios está o presídio de onde o Escadinha tentou fugir cinematograficamente, certa vez.
- Aventureiro. A praia mais difícil da Ilha. De mar aberto e longe pra burro pra ir à pé. Mas se você encarar o desafio, certamente a recompensa será boa!
- Lopes Mendes. De todas, a minha preferida. O barco vai até a Praia do Pouso. Mais 20 minutos de trilha (15 subindo um morro e 5 ladeira abaixo). Essa trilha liga a parte da ilha que é voltada para o continente à que é voltada para o oceano. Assim, LM é uma praia de mar aberto, de águas muito, muito claras, com cerca de 3,0 km de areia branca e fina. Só quem conhece pode dizer como é linda.
Esse é o passeio ideal para o último dia na ilha, pois às 15:00h tem barcos voltando de Pouso para Abraão.
Existe, em determinadas épocas do ano um passeio de barco que dá a volta na Ilha. Nunca consegui fazer pois o mar estava sempre se opondo, mas deve ser fenomenal.
Para quem está com o orçamento um pouco mais largo, existem passeios de lancha - bem mais rápidos e flexíveis - o ano todo.

Fora isso tem as trilhas curtas para a parte histórica da cidade, que conta com um presídio desativado, um duto de água fantástico e mais algumas outras peculiaridades. Para quem gosta, existem inúmeras cachoeiras, o Pico do Papagaio, os campings, os forrós em Palmas, os batismos para mergulhar, e muitas outras coisas.Não há tédio na ilha (a não ser que chova).
Mas se o tempo estiver bom, são só lembranças boas...

Milena adora a Ilha Grande. Na primeira vez que esteve lá, ao voltar para o continente, um cardume de golfinhos seguiu seu barco por alguns minutos.Se ela rezasse, agradeceria por esse paraíso.

5 comentários:

Angel disse...

Viagens...
Esse encontro com a Natureza é inesquecível.
Espero poder ir lá um dia.

Aguardo mais dicas!

Beijos!

Gisele Lins disse...

Míiii!!! Quando vamos, quando vamos????

Bel M. disse...

Hei, vc devia mudar de profissão e virar guia turística... E como fui eu quem deu a idéia pra mim é na faixa, né?
bjobjo

Mariana disse...

aaaaaahhhhh!!! acredita que passei varios dias da minhas ferias em janeiro la tb?? amei tanto q ja to me programando pra voltar no feriado de corpus christi! hihihiii

Sisa disse...

Oi Mi...
Foi pra esse passeio que você me chamou e eu não fui por causa da minha fobia de barco? Acho que foi né? Se só vai de barco, TOU FORA.
Me chama pra algum lugar que a gente vai por terra ou por ar que eu tô dentro.
Bj

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...