sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Sobre magreza, maiôs, biquínis e colchões enroladinhos

Sábado à tarde, cansada de estudar, ‘bora dar uma relaxada vendo uma coisa qualquer na TV. Zapeando o controle remoto, eis que de repente, não mais que de repente, surge na telinha a Lílian Pace: “vocês não podem perder o desfile da grife tal, meninas! A coleção alto verão 2009 está simplesmente um arraso!” E lá vai Laeticia assistir a um desfile do Rio Summer – quem vê até acha que eu amo praia – pela TV. O cúmulo da falta do que fazer.

 

Enfim, achei que iam surgir umas meninas altas e magras, vestidas lindamente em biquínis e maiôs com preços oscilantes entre um e dois salários mínimos – isto mesmo, entre quatrocentos e oitocentos reais – quando começa um desfile de cabides!! Tudo bem que ali a modelo é só acessório, é a roupa, no caso o biquíni/maiô, que tem que aparecer. Mas daí a contratar modelos esqueléticas, anoréxicas, sei lá que nome se dá a isto, é demais!! Por mais magra que seja a modelo ela SEMPRE vai aparecer, uai!! Afinal, é gente que está ali desfilando.

 

Sinceramente, colocando de lado o fato de que estas modelos definitivamente não são o que euzinha acho de mais bonito, além de eu ter certeza que ali tem muito pouca saúde, fiquei pensando o que leva uma pessoa a colocar modelos magrelas ao extremo pra desfilar biquíni, que é o símbolo da gostosura nacional. Se eu tivesse uma grife de moda praia, ia querer mulheres gostosas pra desfilar os biquínis, oras!! E nem é dizer que não tem quem preencha este requisito pra desfilar: tá caro contratar a Cicarelli, a Juliana Paes e a Maryeva? Pois então é só dar uma voltinha na praia, ali no Leblon e em Ipanema mesmo, lugares com muitas freqüentadoras que podem – e pagam – dois salários mínimos por um biquíni, e escolher à vontade!! Tenho certeza que aquelas meninas que amam academia – chego a invejá-las às vezes, confesso... bem que eu gostaria de ter prazer em fazer ginástica – iam adorar aparecer na telinha desfilando um biquíni daqueles. Se bem que eu gostei mais dos maiôs.

 

Voltando ao tal desfile, realmente as peças eram bem bonitas. Tudo bem que estavam um tanto quanto envoltas em ossos, né, mas acho que em alguém que tenha mais carnes ia ficar mais bonito. Nada contra as magrelas de natureza. Mas tudo contra esta ditadura da magreza a todo custo. O GG virou G faz tempo, e nesta piada de mau gosto, eu, que até pouco tempo atrás vestia M, já estou vestindo G! E olha que ando conseguindo controlar meu peso e até emagrecendo um pouquinho. Já voltei a sonhar com um biquíni no verão. Mas acho que se eu não ficar em paz com meu corpitcho logo, vai chegar o dia em que não poderei mais usar biquíni.  E não será pelo meu excesso de gostosura, mas porque os biquínis andam diminuindo de tamanho com mais rapidez que eu consigo emagrecer. E aí estas grifes vão ter que rezar pra mulherada emagrecer doentiamente ou então perder de vez a vergonha na cara. Porque se a maioria for como eu, elas vão falir, porque não tenho a menor vocação pra passar fome, muito menos pra pagar mico na rua com um biquíni que me faz parecer um colchonete enroladinho!!!

 

Laeticia ficou revoltada com a magreza das modelos do desfile e mais revoltada ainda de não poder pagar dois salários mínimos naquele maiô de onça ma-ra-vi-lho-so que uma destas magrelas desfilou!!

3 comentários:

Liz disse...

Concordo plenamente! Biquini realmente nao combina com essas modelos esqueleticas...
Adorei o texto :)

nathi_bb disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla disse...

Acho triste uma pessoa q me parece bem inteligente destile seu preconceito em cima das magrelas assim como os que não gostam das mais gordinhas, elas são magras pq o trabalho exige q sejam assim como um pré requisito. Porém concordo quando vc diz q os modelos das roupas estão cada vez menores.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...