quinta-feira, 16 de outubro de 2008

FINALMENTE TRINTA

Demorei muito a escrever. Fora o problema do computador que eu pedi a Sisa para explicar para o grupo, confesso que iniciava um texto e apagava. Não sei ao certo o porquê, mas isso aconteceu. Não, não estou com depressão. TPM crônica? Não, também não. Sei lá... Acho que tenho andado muito exigente comigo mesma. 

Fico pensando a respeito do que muda na vida da gente quando fazemos trinta anos. Passei por uma crisezinha, tentando entender certas coisas. Lembro que dentro dos meus projetos de vida eu havia traçado estar casada e com filho até os trinta. Apesar de as coisas não terem acontecido exatamente na ordem esperada, estou casada e com filho, aliás, filha, aos trinta anos. (Pausa para a corujice: um verdadeiro presente que me encanta a cada dia e que muitas de vocês, escritoras do blog, já conhecem.)

 

Acredito que um aprendizado dos trinta é a perda de certas ilusões. Sinto-me mais realista com relação a certas coisas, especialmente casamento. Pé no chão, mesmo. Não estou dizendo que é uma regra, mas é algo que só aconteceu para mim, ou eu somente percebi agora, aos trinta.

Um relacionamento somente tem condições de sobreviver se as entidades envolvidas - o EU o TU e o NÓS- estiverem em perfeito equilíbrio e harmonia. Eu já não respeitei como também já não fui respeitada em relação ao meu mundo, ao meu espaço. O excesso de presença não é demonstração de amor e carinho, é simplesmente um excesso, e como tudo que é demais, sobra... 

Não é permitido a alguém, de trinta, certos erros, certos riscos. Espera-se a maturidade emocional e a estabilidade profissional dessas pessoas. É imprescindível estar bem nesses quesitos e caso você tenha um salário de cinco dígitos, nossa, você é “o cara”! 

Esse semestre fechei o PEC Idiomas, um curso de inglês que abri e que funcionou durante quase 5 anos. É muito bom ter o próprio negócio, mas dá trabalho. Fechando o Pec sinto que fechei também um lado meu de empresária. Meio atrapalhado, é certo, mas me orgulhava dele. Paciência... 

Muitas coisas passaram e passam pela minha cabeça nesses meses que sucedem 19 de junho. Não tenho me achado gatinha, por exemplo. Após o nascimento da Nanda emagreci, engordei, engordei, Herbalife, emagreci, engordei, engordei, engordei. Não tenho coragem, sinceramente, de usar certas roupas, pois sou uma mulher de trinta. Descobri que a moda é magra, magérrima, mesmo com peças números 40, 42, 44... Devia ter usado mais mini-saia aos 15! 

Olho-me no espelho e fico pensando se não deveria cortar os cabelos, alisá-los, fazer uma escova definitiva, mas fico na dúvida se japonesa ou marroquina (essa é nova, né?!). Depois eu penso que não seria eu e sinto falta do cabelão anelado, do saião hippie, das rasteirinhas. Aquele “visu” Fafich-Letras. (Nossa, o tempo passa...) 

Uma aluna minha vende AVON e a outra Natura. Renew ou Chronos?! Cada uma delas tenta me vender produtos para disfarçar ruguinhas insistentes que até o ano passado não me incomodavam, afinal eu ainda estava na casa dos vinte!

Nesse 2º semestre, como fechei o Pec,   estou trabalhando menos e me dedicando um pouco mais à minha casa (entendam casa como pacote completo: marido, filha e serviços domésticos). Sinceramente adoro e mais do que isso, não quero saber das novidades que envolvem a  Nanda de ouvir falar. Quero ver, ouvir, sentir... realmente participar da vida dela. E como isso me rejuvenesce!

Acredito que em breve vou reencontrar meu eixo. Sigo reinventando...

 

Vanessa está passando por uma espécie de crise de identidade.Sabe que precisa perder uns quilinhos, mas também sabe que balzaca não deixa de ser gatinha!

4 comentários:

Sisa disse...

Ahhh Vanessa... sinceramente? Te acho bem mais gatinha agora do que aquela magrelinha de 12 anos que eu conheci, rs...
Falando sério... te conheci menina, moça e continuamos juntas agora, que você é uma mulher. E mesmo mamãe sempre diz que você com certeza está mais bonita agora. Os anos te caíram muito bem, amiga :o)
Beijos

Marcela Maria disse...

Gatinha?

Vanessa, sejamos sinceras, você é linda! Sempre foi, por causa do sei jeito, que é sua marca registrada. E isso não muda com os anos. Pelo menos é o que eu percebo, te acho linda, simpática e inteligente desde que eu me entendo por gente!

Também sinto falta do PEC! Mas se serve de consolo, me fez crescer muito! Bem mais do que você imagina!

Te adoro, prima!
bjoo

Angel disse...

Vanessa,

Quando fiz 30 (há quase 5 anos)comecei a me enxergar mais bonita que antes. É claro que sempre queremos perder uns quilinhos...eu também quero.

Sinto que nós, balzacas, transmitimos beleza em muitas outras coisas (olhar, sorriso, personalidade, até no jeito de andar...).

VOCÊ É LINDA! Sempre achei isso!

Relaxa e compra logo seu Chronos!

bjo!

Júlia disse...

Para neh??
Vc é M-A-R-A de mais!!


Bjo grandee!!

p.s: Marcela ali em cima...foi da minha sala..bjo pra ela!



Saudade Vanessaaa!!!


julita!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...