domingo, 29 de junho de 2008

Contradições

Nem toda pessoa louca é desvairada,
Nem toda pessoa tranqüila é lúcida,
Nem todo sorriso farto é alegria,
Nem toda alegria é evidente.
As pessoas mais calmas também enloquecem,
Os amores mais fiéis podem ser desleais,
Os mais desajustados podem ser respeitosos,
As mentiras mais sérias podem evitar desastres.
Nem todo amor é pra sempre,
Nem toda paixão é passageira,
Nem toda amizade é verdadeira,
Nem todo erro nos traz problemas.
Nem tudo o tempo cura,
Nem tudo passa com o tempo,
Nem toda chuva é mau tempo,
Nem sempre o tempo não pára.
Vamos viver na loucura,
Mas com o coração calmo,
Vivendo de acordo com o tempo,
Com lealdade e respeito a nós mesmos.


Tania tem algo dentro de si que não percebido rapidamente pelos menos atentos. É preciso tempo e compreensão para saber que “as aparências enganam aos que odeiam e aos que amam”.

6 comentários:

Renata disse...

Se puxou, hein?? Amei o poema!
Beijos com saudades!!

Júlia Rodrigues, Maíra, Bárbara, Fernando, Wander disse...

Nossaaa..legal de mais o poema..muiot interessante!!

Abraço..Júlia

Angel disse...

Adorei Taninha!

Arrasou! E em muitos casos comemoro o tanto que as aparências enganam...

Bjos!

Sisa disse...

Bom, mas admita que no seu caso você é louca E desvairada, hahaha... Bj

Dani Vieira disse...

Pulando de blog em blog, acabei chegando aqui..

Adorei esses versos.
Adorei mesmo!

Parabéns, Tania!

Abraço

Flávia disse...

Tânia,

Já fazia um tempinho que eu não visitava o blog. Então fui lendo os textos anteriores e achei o seu poema um espetáculo.
Bjs, Flavinha

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...