sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Ela disse adeus

Eu já tive a curiosidade de fazer meu mapa astral, que meu Fiel Escudeiro, muito antes de ser tão fiel, carinhosamente interpretou pra mim, deixando claro que era interpretação amadora. O fato é que nele não há previsão de nenhuma viagem longa, e cá estou eu fazendo a segunda. Por que será? Talvez porque quem me deu as cartas iniciais do jogo soubesse que eu nunca ia estar preparada pra dizer adeus.

Já perdi as contas dos adeus mais dolorosos da minha vida, vou só falar de alguns:

- Dar adeus pra Laeticia quando ela foi pra Tailândia, sabendo que ia ficar um ano ser ver minha irmã;

- Dar adeus pra minha família quando eu vim pra Letônia;

- Dar adeus pra minha família leta quando voltei pro Brasil;

- Dar adeus pra Bia e pro Lui no aeroporto de Nova York, meus dois amigos de todas as horas na Letônia;

- Dar adeus pra Liz quando ela foi embora pra Noruega:

- Dar adeus pra Fafá e pra Trice depois da formatura da Fafá;

- Dar adeus pro Cláudio no aeroporto de Cumbica;

- Dar adeus pro meu Fiel Escudeiro quando estava voltando de Palmas;

- Dar adeus pra minha vó antes de Portugal, sabendo que corro o risco de não vê-la mais;

- Dar adeus pra minha mãe quando ela foi buscar minhas coisas antes de eu ir pra Portugal;

- Dar adeus pro Leandro no aeroporto quando fui pra Portugal, mesmo sem saber que aquele era o último beijo na pessoa de quem mais já gostei na vida (e lembrem-se que ninguém deixa de gostar de outra pessoa do dia pra noite);

- Dar adeus pra Liz de novo quando eu voltei do nosso encontro na Espanha;

- Meia hora atrás, dar adeus pra praticamente toda minha família leta, já que embarco amanhã pra Londres, de onde vou novamente pra Portugal.

Por que será que a vida me presenteou com tanto adeus, sendo que eu não estava preparada pra isso? Quero acreditar que a vida não me presenteou, pelo contrário: foi isso que eu escolhi pra mim, porque ao mesmo tempo que dói, me fortalece, cria laços, e me ensina que eu devo aproveitar a presença das pessoas que amo enquanto elas estão do meu lado, porque em algum momento, eu vou dizer adeus e novamente seguir meu caminho.


Sisa, 28 anos, numa hora dessas já deixou a Letônia, com coração feliz, lágrimas nos olhos, sabendo que por mais bonita que seja a flor do caminho, depois de cheirá-la a gente tem que seguir em frente.

8 comentários:

Queila disse...

Sisa, você reparou que em todas essas ocasiões nunca deu ADEUS realmente? Você sempre disse "até uma outra vez". De uma forma ou de outra você sempre mantem contato com as pessoas citadas e um dia as reencontra. No auge dos seus 28 anos o Leandro foi a pessoa de quem você mais gostou, mas ainda existirá aquela pessoa que você gostará para sempre. Enquanto isso, siga o seu caminho porque agora, regado por tantas lágrimas, ele está preparado para um outro "até logo" e mais outro e mais outro... E a vida não te presenteou com ADEUS, mas com o privilégio de ser tão querida por tantos que as lágrimas não rolam só dos seus olhos, mas daqueles que também te dizem: "tô indo embora, mas você vai ficar no meu coração". Você é linda. Beijos e até logo, logo, quando você vai vir aqui me dar aquele abraço bem gostoso em uma manhã quando o que eu mais preciso é de um carinho de pessoas como você.

Vivian disse...

Oi Cecilia, ate chorei quando li seu texto, me lembrei das vezes que disse adeus, que nao foram muitas, mas intensas e com a certeza que eram realmente adeus e nao um ate breve! Beijos.

Paula disse...

Cecília...
Muito comovente seu texto (chorei também)...
Acho que você não disse "adeus". Adeus é algo muito definitivo, parece que nunca mais vai voltar. Acredito que os seus "adeus" estejam relacionados com mudanças significativas em sua vida e, para estas sim, você está preparada!
Beijos!

Astrólogo fajuto do cerrado disse...

Tá bom, eu errei, mas precisa jogar na cara com um post desses de chorar?
A Queila arrancou as palavras da minha boca, suas despedidas sempre trazem consigo futuros reencontros!
Beijos, boa viagem, tô com saudades!


(vou olhar o mapa de novo até achar QUALQUER coisa de viagem pra esfregar na sua cara!!!)

vanandram disse...

Ei,
amiga! Emocionante seu texto. Pra não dizer que chorei vou usar um eufemismo: fiquei com lágrimas nos olhos e não foi de cortar cebola! Rs...rs... Sabe, eu me lembrei das vezes em que tbm tive de dizer adeus. Último dia de aula, formatura, alunos de estágio, alunos de 5ª série...Mesmo que seja um adeus meio fajuto, valendo por um até mais ver, despedir-se de momentos bem vividos é sempre doloroso. Mas a vida tem dessas coisa... Bjs! Saudade.

vanandram disse...

Eu não ia falar disso pq toda vez que me lembro choro... pronto, já começou... É que o adeus mais difícil da minha vida foi qdo casei ano passado e tive de despedir da minha vida na casa da minha mãe. Nossa, difícil demais! Ainda mais pq grávida é um poço de sensibilidade! Meu quarto, minha cama, minha irmã na cama ao lado... Ela não sabe disso, mas eu fiquei uma noite inteira olhando para ela dormindo e chorei muito. No dia seguinte ao meu casamento eu fui buscar o restante das minhas coisas na casa da minha mãe e soluçava de tanto chorar! Foi muito engraçado qdo ela apareceu, pq não era para ela estar em casa. Fiqueio um bom tempo assim, sofrendo, em plena lua de mel!!!O Leo acha até hoje que era de emoção!!!

Angel disse...

Simplesmente lindo, emocionante e verdadeiro.
Que bom deve ser ter tantos amores espalhados pelo mundo...
Bjs
Angel

Milena disse...

É real, vc não pode negar.
Todos os seus adeus têm uma tendência a serem "até logo".
Sofrer é resultado de viver.
Sofrer intensamente também. E isso é lindo =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...