domingo, 26 de agosto de 2007

Cada Ano dos 30

Quando fiz 20 anos, comecei a me imaginar aos 30, realizada profissionalmente e usando Chronos.

Aos 22 me formei em Relações Públicas. Sempre foi minha paixão e, como qualquer paixão, pode não vingar... E não vingou. Me desviei da área e não consegui achar o caminho de volta.

Aos 25 comecei o primeiro e único namoro sério. Ele era inteligente, dedicado em tudo que fazia e baixinho, quer dizer, menor que eu. Infelizmente, descobri que ele não se dedicava à absolutamente tudo que fazia. Na lista de prioridades dele, eu devia estar em 5º lugar, com otimismo. Demorei quase quatro anos para me cansar, mas quando esse dia chegou, lavei a alma. Seria exagero dizer que me senti bem logo no dia seguinte, mas foi uma decisão muito acertada, arrisco dizer que inspirada divinamente.

Sozinha, comecei a ter fome (o que não era comum). E como comi...! Engordei 10kg. Santos quilos. Hoje sou o que os homens costumam chamar de “gostosa”. Ao mesmo tempo que faz bem ao ego, me irrita um pouco. Detesto ser vista como “Mulher Bunda”.

Nesse meio tempo, descobri o AMOR. É, um grande amor. Aprendi muito amando, principalmente a aceitar o que não posso mudar. Não pude viver esse amor como desejei, mas a alegria que me trouxe está comigo até hoje. Amar é divino! Bem sucedido ou não, o Amor engrandece, ilumina.

Fiz 30 anos sem estar profissionalmente realizada (o que busco até hoje cursando Secretariado Executivo). Porém sou uma mulher mais feliz, gostosa e cheia de esperança. Dois dias depois, ganhei um grande presente, minha sobrinha e afilhada Beatriz, um misto de meiguice e pirraça que eu amo profundamente.

Hoje, com 33 anos, 2 usando Chronos, solteira e titia, afirmo que sou muito mais mulher de 5 anos para cá. As emoções são mais fortes, sinto mais calor, sou mais paciente (não em todos os quesitos), porém imperfeita, graças a Deus. É na imperfeição que me agarro para aprender mais e mais a cada dia.

Não quero me imaginar com 40 anos. Prefiro viver cada ano dos 30 bem devagarzinho, assim como se come brigadeiro, saboreando bem até o finalzinho.

Angélica é Relações Públicas de diploma e coração, está prestes a ser formar em Secretariado Executivo, mas gostaria mesmo é de ser um anjo como dizem por aí...

6 comentários:

Vivian disse...

Oi Angelica, me identifiquei lendo algumas partes do seu texto, achei bem legal e tb ja estou usando Chronos há 6 meses. rsrs. Bjs.

vanandram disse...

O que eu posso dizer do seu texto, Angélica?! DELICIOSO!!!!
Abraços da Vanessa, que é mãe e também titia!

Paula disse...

Gostei muito do seu jeito de escrever, Angélica! Nossa, quanta informação em tão poucas linhas rsrsrs!
Gostei de tudo e achei sua vida muito emocionante, mas acredito que seu grande achado foi descobrir que o amor é o que realmente importa!
Bem vinda!
Beijos!

Sisa disse...

Oi Angel!
Bem vinda ao nosso blog! Espero que todas nos curtamos os trinta e o nosso blog assim como se come brigadeiro, saboreando bem ate o finalzinho!
Beijos

Laeticia disse...

Oi, Angel, estou muito feliz de vc estar participando do nosso blog-terapia-de-grupo! A gente quase nunca se falava, mas eu nunca me esquecia de vc. Agora a gente vai estar sempre em contato, de um jeito ou de outro. E o melhor de tudo, crescendo juntas!

Anônimo disse...

Oi Angélica, adorei a sua história, especialmente os 10 quilos a mais sem trauma.
Não liga para o "Mulher Bunda", levante as mãos agradeça; infeliz de quem não tem.
Quando postar mais, me avisa.
Um beijo,
Cacá

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...