quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Quem espera sempre alcança?


Esperar algo ou alguém, em pé ou sentada, não importa! Eu odeio esperar e você? Você há de convir comigo que perder tempo esperando quando se tem 15 anos (quando meu único compromisso era com a televisão), é muito diferente de perder este mesmo tempo aos 29, quando meu dia teria que ter 36h pra dar tempo de fazer todas as atividades que tenho.

Naquele dia, minha espera se iniciou já de manhã quando cheguei para trabalhar. Dei uma volta na quadra e nada! Nenhuma vaga para o carro, insistente, dei outra volta pra me certificar que eu havia olhado direito, eis que vejo um carro saindo de uma vaga, mas é incrível, quando você liga a seta, a pessoa decide até passar batom, acho que é uma tática pra deixar o próximo esperando e bastante irritado!Já comecei a xingar mentalmente, isso porque eu estava sozinha, porque se eu estivesse acompanhada já me desabafaria com o carona. Depois de eu já estar com taquicardia de raiva, o carro decide sair e eu consegui finalmente estacionar.

Entrei pra trabalhar e tudo foi bem até a hora do almoço, quando tive a infeliz idéia de ir almoçar fora, porque na noite anterior tive preguiça de deixar o almoço pronto. Na entrada do restaurante já dava para avistar a fila e imaginar o que me aguardava, se era difícil esperar de barriga cheia, imagina de estômago vazio!? Minha vontade era sair correndo daquela fila e ir comer pão com mortadela na padaria mais próxima, mas meu marido estava de bom humor e me convenceu que a comida valia a pena. Realmente, com a fome que eu estava qualquer comida valeria a pena, mas confesso que na primeira garfada eu já havia me esquecido do martírio da fila.

Voltei ao trabalho, tinha consulta na médica às 17:30h. Cheguei as 17:25h, o consultório estava lotado, me sentei e logo ouvi a senhora do lado falar para outra: “Não agüento mais esperar, minha consulta era às 15:00h”, a outra respondeu: “a minha era às 15:30”... Nesse momento minha taquicardia reapareceu! Tentei me distrair com as revistas, durante uns 30 min tive sucesso, quando percebi, parecia que eu estava sentada numa britadeira, de tanto que minha perna balançava, agitava até meu cabelo. Era a inquietação se manifestando... Mas era muito difícil conseguir uma consulta com essa médica, então tive que aturar a espera de quase 2h. Minha vontade era quando a médica abrisse a porta do consultório, ferver em cima dela e dizer umas verdades, mas a médica foi tão simpática e atenciosa que após eu adentrar a sala dela, até esqueci minhas horas angustiadas de espera.

Voltei para casa e decidimos pedir pizza, a moça falou que levaria uns 40min, 1:20h depois a pizza ainda não tinha chegado, meu marido agora extremamente irritado, pegou o telefone para cancelar a entrega, quando toca a campainha e era o entregador, ao abrir a porta o cheiro da pizza nos fez salivar! Então resolvemos ficar com a pizza.

Bom, depois de um dia desses, agora só me resta dormir, porque o importante é que o dia de amanhã é um novo dia e tudo vai ficar bem (pensei comigo), então me deitei de conchinha com meu marido e aí fiquei esperando o sono chegar, ele também demorou!


Débora é impaciente, persistente, adora uma boa comida e escreve aqui às quintas.

7 comentários:

Louise disse...

kkkkkkkkkkkkk
Incrível!!! Tirando a parte do carro (que um dia eu vou ter...) e do marido (acho que isso eu não vou ter não rs), parece até que sou eu narrando essa história!!!
Também odeeeeeio esperar, quem me conhece sabe ebm disso rs
Parabéns, ótimo texto!!!

Luciana G. disse...

Olá, mulheres de 30!
Idade boa, essa, viu?
Gostei muito da idéia do blog, sobretudo porque são mulheres se posicionando.
Havendo tempo, visitem o Verborragia Feminina, feito por uma mulher na casa dos 40 - a idade também é boa!
Um abraço,
Luciana

Fafá disse...

Oi Débora,

eu diria do seu texto: " Seria cômico se não fosse trágico", pois vc escreveu de forma tão divertida uma coisa completamente irritante!!! :) Também odeio esperar, por isso me esforço prá não fazer ninguém me esperar!!
Vc escreve muito bem!!!
Beijinhos,
Fafá

Paula disse...

Nossa Débora, muito legal seu texto!
Eu não gosto de esperar e atraso é uma coisa que me irrita muito, mas porque eu faço o impossível para não atrasar compromissos com outras pessoas.
Acho que com a vida corrida e os dias de 36 horas que precisamos, existem falta de compromisso das pessoas (como a médica atrasa 2 horas?) e planejamento ruim também (se a pizza demoraria o dobro do tempo, porque não estimar melhor?).
Adorei!
Bjs.

vanandram disse...

Débora,
fico feliz que o seu dia tenha acabado em pizza!
Um abraço,
Vanessa.

Simone Maia disse...

Muito gostoso seu texto! Excelente de ler enquanto se espera o telefone tocar! rs

Abraço!

Milena disse...

E quem disse que seria fácil viver na tranquilidade do interior??
=)
Também detesto esperar.
E as pessoas me acham estranha porque eu sou pontual. É um mundo muito louco.
Estou adorando seus textos!
Consegui te imaginar no consultório da médica concorrida!

PS: também tenho muitas saudades de nossas conversas sobre a vida...
Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...