sábado, 25 de agosto de 2007

Mãe só tem uma (Ufa!)

E onde é que nós estávamos mesmo?
Ah, os relacionamentos!
Poucas coisas são tão insanas e ao mesmo tempo tão necessárias quanto um relacionamento.
Todos eles. Eu juro. É verdade! Não acredita? Então tomemos como exemplo o mais insano de todos – e que no meu caso já dura mais de 28 anos - o relacionamento mãe e filha.

Minha mãe é daquele tipo “pra frente”. Ela é dezesseis anos mais velha que eu, mas parece que é uns doze mais nova. Ela usa roupas “da moda”, conhece os garçons pelo apelido, toma cerveja de manhã, vai à academia, tem mais de três empregos, e quando nós morávamos sob o mesmo teto, ainda tinha a ousadia de chegar em casa depois de mim... Ou pior: de me ligar pra ir buscá-la! E eu acordava, com o mau humor digno da madrugada, e ia. Parênteses aqui: antes que vocês pensem que ela é um monstro esquisito além da imaginação, deixem-me explicar que nestes casos, ela estava à trabalho. Minha mãe toca violão e canta em bares, festas, casamentos e todas essas ocasiões festivas.

Não contente, ela dá aula de música para crianças bem pequenas - daquele tipo que usa chocalho de grão de feijão como instrumento musical, sabe? - e também para adolescentes - daqueles que fazem bandas de "rock" (?!?) no período livre do colégio. Se a pessoa não é pequena o suficiente para sacodir o chocalho nem grande o suficiente para ter uma guitarra elétrica não pensem vocês que ela se acanha! Dá-lhe logo uma flauta doce e todos os problemas da humanidade estão resolvidos.

Esse tipo de coisa faz dela uma pessoa “cool”. Quase o meu oposto.

Sabe... Esse é o tipo de coisa que pode traumatizar muito uma pessoa. Se somarmos a isso o fato de que eu sou filha única, não fui amamentada, não ganhei um autorama e muito menos um pônei, eu sou um prato cheio para a psicanálise. Eu poderia ter me tornado psicopata, ou até coisa pior... Eu poderia ter sido bailarina!

Tá, eu sou exagerada. Mas vamos, concordem comigo que é estranho ter uma mãe fora do "padrão"...

Não me lembro dela escolhendo minha roupa pra ir pra escola, nem me dizendo para comer legumes, porque faz bem para a saúde. Não me lembro dela me obrigando a tomar banho, nem lavando atrás da minha orelha. Não me lembro dela me chateando porque eu não fiz a lição, logo não poderia brincar na rua. E felizmente, também não me lembro dela me obrigando a fazer aulas de ballet. Ela é legal demais pra essas banalidades. Se não me falha a memória acho até que me lembro da "mama" me deixando comer tatu-bola.

Existe uma hora na vida da gente em que as frases como “sua mãe é tão nova que parece sua irmã” e “queria que minha mãe fosse tão legal quanto a sua” já estão tão batidas que nem nos lembramos de responder à altura: - Sim, ela é muito nova. - Sim, ela é super legal. Eu sei disso mais do que qualquer um, ok? Ah, sua mãe não é “cool”? Que pena... Mais sorte na próxima vez. A minha é.

Milena tem 28 anos - mas parece que tem 60, é filha de uma mulher que tem 44 – mas parece que tem 25 - e sabe como ninguém que idade é só um estado de espírito.

11 comentários:

Paula disse...

Oi Milena!
Relacionamento mãe-filha realmente é dos mais insanos, concordo rsrs.
A minha mãe também é do tipo "prafrentex"; pelo menos mais que eu. Ela não sai muito, mas eu também não. São as atitudes dela: super vaidosa, comunicativa, criar 2 filhos sozinha; conversar com todo mundo sobre tudo; parecer ser minha irmã também rsrs e por aí vai (ela merece um post, mas tem que ser chique, porque mãe assim é uma só).
Acho que temos sorte, porque mães "cool" ensinam muito sobre independência, valores e posturas.
Muito linda a homenagem a sua mãe!
Beijos.

Gisele Lins disse...

Mí, a tua Mamis deve estar muito orgulhosa de ter uma guria tão especial quanto você!
Lindo, maravilhoso e emocionante a tua homenagem (e também a tua mãe, que eu estou morrendo de saudades, por sinal!).
Beijocas!

Sisa disse...

A mae da Milena e bacana demais! Viva a Natalina!

Carolina disse...

Ah Milena...
o final da sua frase foi tudo, se sua mãe não é cool, que pena, mais sorte na próxima vez...rsrsrsrs
adorei o texto, porque ele retrata fielmente a sua mãe! ela é exatamente assim mesmo, e vc tbm! só conhecendo pra saber.
Espero que a homenagem chegue à ela.
beijos!!!

Débora disse...

Nossa muito bom seu texto! sua mãe é muito gente boa mesmo! Consumista q só ela..rs Me lembrei qdo fomos para Pedreiras...rsrs

bjs

DJ disse...

Esse texto ficou legal!!
rápido, grosso, e com uma pitadinha de humor.
e a propósito: a minha tb! :P

Gra disse...

Milena, Já escutei muito isso.... "Como sua mãe é nova, como é animada"....Aliás, escuto muito isso dos meus pais, quando saem em suas aventuras motociclisticas... rs... É muito bom!

Milena disse...

Paula,
obrigada! Minha mãe me ensinou muitas coisas. E a maioria delas ela nem sabe que ensinou =)

Gi,
minha mãe está sempre orgulhosa de mim, mesmo quando não tem absolutamente nenhum motivo. Acho que é isso que chamamos de cegueira... rs

Cecília,
a sua mãe é uma figura quase igual a minha!

Cá,
ensinei minha mãe a ler o blog, ela imprimiu o texto pra mostrar pras amigas... eu mereço... rs

Débora,
nem me lembre de Pedreira!!! Precisamos de um texto sobre isso qualquer dia!

DJ,
muita sorte para nós e nossas mães. Obrigada pela "pitadinha de humor" =)

Gra,
então você sabe exatamente o que eu sinto! Mas eu proibiria totalmente minha mãe de chegar perto de veículos de duas rodas. São muito perigosos.

Renata disse...

Milena, adorei teu texto e o modo como você vê e retrata a sua mãe. Minha mãe não é nem um pouco assim, mas eu espero estar sendo assim com a minha filha. Se ela me ver de forma parecida, nem que seja um pouco, à sua maneira de ver sua mãe, terá valido a pena.
Beijos!
P. S.: Tu lembra de mim, dormi na tua cama vários dias! (Não levem a mal, a Mi não tava lá! Rsrsrs!)

Milena disse...

Ei!
Claro que eu me lembro de você =)
E do seu risoto também! rs
Essa relação mãe e filha é complexa e de qualquer forma o valor é inestimável. Espero que valha muito a pena!
beijo grande!

Fabi disse...

Milena, a minha mãe tem 49, eu 31 e minha filha mais velha tem 15. Quanto saimos as tres juntas é uma grande confusão pq acham q são todas irmãs.

Somos diferentes sim, mas muito parecidas ao mesmo tempo, tanto que uma se stressa com a outra por coisas bobas que as 3 fazem igual.
E ainda tem as minhas menores que tem 11 e 8 anos.
É um tanto de mulher que só pode dar confusão.

beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...