sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Inveja?

Outro dia recebi um mail com um texto que falava de uma mulher que acompanhou o namorado à pelada do fim de semana. Ela conta que rolou discussão, roubalheira, ameaça de morte, até que o jogo acabou, e os mesmos caras que estavam se matando no campo saíram rindo, brincando, dando tapinha nas costas uns dos outros. Aí ela termina o texto falando assim: “Fui-me embora com um vazio a futucar o espírito. O que nós, mulheres, temos de parecido, o shopping, o salão? Nem chegam perto. Não pode xingar, espernear, soltar os sapos da garganta - além do que, num e noutro, o máximo de exercício que se faz é com a língua na futrica da vida alheia – muito chato. Não havia como negar, o brinquedo dos rapazes é divertido como só, e meu vazio era de inveja. Nós, mulheres, não temos nada que se compare.”

Minha primeira reação ao acabar de ler o texto foi pena da mocinha que escreveu o texto. Mas como eu nem conheço a tal mocinha, rapidinho minha pena passou pra amiga que me repassou o tal e-mail, jurando que aquilo era uma verdade absoluta na vida de qualquer mulher, ela mesma morrendo de inveja da peladinha dos moçoilos aos sábados.

Fiquei pensando que praquelas mulheres cujas amigas são só amigas de shopping e salão, realmente deve ser frustrante não correr atrás de uma bola e outros 21 marmanjos no fim de semana, todos suados e levemente nojentos. Na minha cabeça surgiram duas cenas. Na primeira, uma infeliz com sua “amiga” no shopping. Experimenta uma calça, uma blusinha, a “amiga”, doida pra dar uma rasteira nessa mocréia que se acha sua amiga, fala que ela ficou absolutamente L-I-N-D-A-! naquela blusinha baranga, dando risadinhas por dentro e pensando “Com essa roupa ridícula, neste fim de semana já vou estar chamando o homem dela de meu”. Enquanto isso, ela pensa “Será que estou gatinha mesmo ou ela quer que eu fique ridícula pra, neste fim de semana, ela já estar chamando meu homem de seu?”

A segunda cena foi meio deprimente também: a mesma infeliz no salão, desesperada pra ficar bonita, uma manicure em cada mão, uma cabelereira tentando domar sua juba, enquanto ela, no esforço de ser bem aceita naquele ambiente, começa a falar de assuntos interessantíssimos, como a roupa que Fulana de Tal usou no casamento da Wanessa Camargo e saiu na capa da Caras, ou melhor, fazendo cara de susto e dando risadinhas solidárias quando o assunto é uma conhecida que está sendo rotulada de piranha pelas suas “amigas” de salão.

Aí, pra tentar me livrar da tristeza que essa imagem me passou, passei em revista todas minhas amigas: aquelas que saem pra beber comigo, que já foram ao Mineirão junto, que me falaram que eu estava ridícula nessa ou na outra roupa, “e desse jeito seu gatinho não vai nem te enxergar”, aquelas que viraram madrugada comigo estudando, tomando cerveja e comendo pizza, e depois ficaram sem entender comigo porque a nota foi horrorosa... As amigas com quem eu briguei, mas que depois tive vontade e intimidade de falar “Eu te amo, volta pra minha vida”... As que também fizeram programa de mulherzinha comigo, tipo ir comprar roupa e ir ao salão, mas que fizeram dessas experiências que eu odeio uma coisa divertida, e não um momento de mesquinharia que é o prato cheio pra homens falarem que mulheres não são amigas de verdade. Aí sim eu tive pena de quem escreveu o tal texto: se ela acredita que todas as amigas dela são assim, ela tem razão pra ter inveja da peladinha dos sábados.


Sisa é cheia de amigas de verdade, e a prova disso é essa mulherada que escreve aqui todo dia. Ela escreve só nas sextas.



7 comentários:

Fafá disse...

Ei Sisa!!!

Eu concordo plenamente com vc! (meu texto diz isso inclusive, né? ) AS mulheres são diferentes dos homens, apenas diferentes. Então a forma de se divertirem não é igual, obviamente! :) Então não tem essa de sentir inveja! Cada um com seu cada qual!!! :) Aliás, eu adoro ser mulher! rsrs
Muitos beijos!

vanandram disse...

Oláaaa!
Bacana seu texto!
Muito legal ser sua amiga!
Beijos,
Vanessa.

Paula disse...

Oi Cecília!
Este seu texto é muito bom! Muito mesmo!
Acho que homens e mulheres têm visões diferentes de praticamente tudo nesta vida, inclusive do conceito de amizade, mas em uma coisa concordam: se a amizade for verdadeira, pode haver brincadeiras e tudo mais, porque faz parte!
Acho que a pessoa do e-mail talvez nunca tenha experimentado amizade de verdade e seu nível de entrega em uma amizade não passe de falar amenidades! Isso sim é muito triste... (eles chegam com um cheiro horrível do futebol de domingo mesmo rsrs).
Beijos.

Liz disse...

Sisa amo ser sua amiga de verdade e ter feito (e se Deus quiser continuar fazendo... quem sabe no final do ano??) muitas coisas legais com vc, coisas de menina ou não hehe!!

Angel disse...

Ei Sisa! Eu sou daquelas que falam que a roupa da amiga está ridícula! Alguém tem de dizer, melhor que seja uma amiga, não é!?
Adorei o texto!
Beijos
Angel

Marina Lima disse...

Oi, Sisa!! Adorei o texto!! Quem disse que pelada com os amigos é melhor que programas de mulher?? Quem escreveu nunca teve amigas como as minhas, que embolam de tanto rir juntas, que saem para beber, que marcam na casa umas das outras para dançar com som alto e rir muito umas das outras...e amizade verdadeira é assim mesmo, a gente diz que a outra está ridícula, diz que aquela cor de cabelo não ficou legal e assim crescemos juntas e felizes.
Abraços.

Thaty disse...

Ei Maria Sisa,

Estava passeando e acabei lendo seu texto, realmente ótimo. E fico feliz por saber que tenho amigas de verdade,uma prova disso é saber que permanecemos próximas apesar da distância. Saudades. Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...