sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Primeiro "senhora"

Primeiro "senhora" a gente nunca esquece. Às vésperas de fazer 30 anos, um aluno cabeludo perguntou: "Professora, o que a senhora acha de?..." . O meu primeiro pensamento foi: "Quem? A minha mãe?". Casada, grávida e professora eu acumulo características de senhora e definitivamente já sou uma, mas escutar, assim, na bucha, foi uma surpresa.

As pessoas com as quais estabeleço relação de prestação de serviço já me chamavam de senhora ou pior, de dona. Esse tipo de relação de trabalho funciona melhor com um certo grau de formalismo, ao qual o termo "senhora" se adequa bem. No interior, ás vezes me chamavam de "doutora" por eu ser psicóloga, mas sempre rejeitei o título rindo e falando que eu ainda não tenho doutorado ainda. Tem quem entendia, tem quem não, paciência.

O "senhora" vindo dos alunos, alguns da minha idade ou mais velhos é que foi sentido como um divisor. O que quer dizer "ser uma senhora"? Revi as minhas representações sobre o tema e me preparei psicologicamente para incorporar essa nova persona. Uma senhora não pode falar besteira, tem que dar bom exemplo, tem que vestir-se de maneira recatada e elegante, não pode rir escandalosamente ou falar palavrão. Uma senhora é alguém ponderada, que nunca radicaliza em público, que sabe escutar e geralmente tem uma palavra mediadora. Uma das vantagens de ser senhora é que deu tempo de aprender alguma coisa sobre o que as pessoas querem dizer quando não dizem nada.

 Tudo tem sua hora e lugar. Com amigos, dá pra ser eu mesma. Como senhora não. Há responsabilidades e protocolos a serem seguidos.


Roberta Sant´André. Acredita que há mais entre o céu e a terra do que supõe sua vã filosofia.

10 comentários:

Sisa disse...

Roberta,
Quando eu estava estagiando numa faculdade, vários alunos me chamavam de senhora, e eu realmente ficava em choque. Ainda mais que, com menos de 30 anos, mais nova que muitos deles, solteira, sem filho e indo pra faculdade vestida mais informalmente que muitos deles, que iam pra aula direto do trabalho, eu não preencho assim tantas características de uma senhora. Quando vi que não adiantava pedir pra não chamar de senhora, até comecei a gostar, porque eu percebi que eles faziam tanta questão porque viam aquilo como um sinal de respeito. A parte boa era que mesmo assim eles me viam como uma amiga que estava lá pra ajudar, não como uma bruxa que era a pedra no caminho entre eles e o diploma. E olha que ser uma professora de Física não odiada é uma tarefa e tanto!
Beijos!
Sisa

Paula disse...

Oi Roberta!
Na vida realmente temos que desempenhar diversos papéis: filha, amiga, mãe, namorada/esposa, cliente ... e senhora.
A sua descrição for precisa: senhora exige uma certa compostura. Mas ainda bem que não é necessário ser senhora o tempo todo rs!
Eu também ainda não me acostumei com a nomenclatura rs!
Excelente texto!
Bjs.

Vivian disse...

Oi Roberta,
Realmente o primeiro senhora assusta, e muito. Tb já passei por isso. Confesso que quando eu era mais nova eu achava engraçado (sim, porque eu dei aulas dos meus 19 aos 23 anos em escolas de ingles e muitos alunos me chamavam assim, inclusive uns de mais de 40). Como eu sabia que nao era eu levava na boa, mas hoje incomoda o tal senhora, acho que porque agora sim ele começa a soar mais verdadeiro. Mas a gente se acostuma... rsrs

Milena disse...

Como eu, bem perto dos meus 30 anos, ainda uso aparelho ortodôntico, estou um pouco distante de ser chamada de senhora casualmente...
mas seu texto já me ajuda a me preparar para o momento que certamente chegará!

Andréa disse...

Roberta,

Eu tenho 34 anos, sou casada há 4 anos e tenho uma filha de 1 ano e 4 meses. Mas, mesmo com tudo isso, eu detesto - isso mesmo, detesto - ser chamada de "senhora"! Pra mim, senhora soa como ser chamada de "velha", no sentido pejorativo da palavra... Não que eu seja contra a velhice, não! Acho que há coisas maravilhosas em todas as fases da vida. Mas ser chamada de senhora, pra mim, em vez de respeito, acaba soando como desrespeito.

Mas não adianta, já virei senhora e sou tratada como tal na maioria dos lugares... Fazer o quê, né? É o tal do "protocolo".

Abraço.

vanandram disse...

Oi, Roberta!
Eu também sou lotada desses alunos cabeludinhos e muitas vezes inconvenientes! Agora, vou te falar uma coisa: prefira o senhora, porque o dona...
Abraços!
Vanessa.

Laeticia disse...

� deveras, como diria vov� Bem, um dia isso ser� inevit�vel, mas, por hora, SENHORA � A PUTA QUE O PARIU!!

Julia pereira da silva disse...

Meu primeiro senhora foi com 16 anos , hoje eu tenho 22 e ainda muitos me chamam assim nao tenho filhos nao tenho. Cara de velha mas até idosos me chama de senhora caras da minha idade chegaram a me chamar de tia.

Julia pereira da silva disse...

Meu primeiro senhora foi com 16 anos , hoje eu tenho 22 e ainda muitos me chamam assim nao tenho filhos nao tenho. Cara de velha mas até idosos me chama de senhora caras da minha idade chegaram a me chamar de tia.

Julia pereira da silva disse...

Meu primeiro senhora foi com 16 anos , hoje eu tenho 22 e ainda muitos me chamam assim nao tenho filhos nao tenho. Cara de velha mas até idosos me chama de senhora caras da minha idade chegaram a me chamar de tia.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...