sexta-feira, 12 de outubro de 2007

É bom ser criança

Bom, como todo mundo desse hemisfério deve saber, hoje é o dia da criança.
Pra mim nunca foi exatamente um dia feliz...
Vale lembrar que eu faço aniversário em outubro, então nunca ganhei muitos presentes no dia 12.
Pior que isso só quem faz aniversário perto do Natal. Esses sim sofrem nesta vida...

Mas a parte boa do dia da criança é relembrar a infância. E isso - ao contrário dos presentes - eu tive, e muito!
Relembro com saudades de tempos tão diferentes, que realmente só podem ter acontecido em outro século.

É fácil para mim escrever um texto sobre minha infância. Eu era o protótipo da criança que hoje eu considero feliz.
Brincava na rua de pega-pega, pique-esconde, amarelinha, elástico.
Pulava cela. Jogava "Jogo da Vida" e "Verdade ou Castigo" até cansar. E criança não se cansa nunca!
Fazia viagens exploratórias até o bairro vizinho, sempre jurando que não tinha saído de perto de casa.
Subia em árvores, tentava empinar pipas, voltava para casa aos protestos somente para comer, tomar banho e dormir.
Meus joelhos trazem ainda as marcas de muitas e muitas travessuras.

Morria de medo da "Cuca", aquele jacaré assustador que assombrava minhas manhãs no sofá, vidrada na telinha.
Vale ressaltar também que eu fui educada pela Xuxa. E não morri nem fui menos feliz ao vê-la tomar um super café da manhã com as paquitas enquanto cantávamos todas juntas "Quem quer pão?". Mas como fiquei triste quando o Xuxo - aquele "Meu cãozinho Xuxo" - morreu...

Outra pessoa muito importante na minha educação foi o Toquinho - e este valerá uma história à parte dia desses. Passei muito tempo da minha infância na compania de "A Arca de Noé" e de "Casa de Brinquedos". Os quais recomendo para pessoas de qualquer idade.

Não tive irmãos, mas tenho primos quase da mesma idade, e tive muitos amigos. Isso sim.
Primos com quem eu mantinha uma relação de amor e ódio diária. Com quem competia para ver quem tomava o café-da-manhã mais rápido, quem almoçava mais devagar, e quem ainda teria sobremesa para comer lá pela hora da sessão da tarde!
Amigos com os quais eu brigava para sempre até no máximo no outro dia. Brigas mortais, muitas vezes apartadas pelas mães que não sabiam mais o que fazer com crianças tão "danadas".

Foi nesta época em que eu descobri que bastava dormir para que o dia de amanhã chegasse mais rápido, especialmente na véspera do Natal.
Que passar a noite na casa dos amigos brincando de "O Gato Mia" é muito divertido. Que andar de pés descalços pela enxurrada pode até ser perigoso, mas é bom à beça.

Tem tanta coisa na minha infância que me define hoje, que juro que posso escrever o dia inteiro sobre isso.
Aventuras emocionantes. Tragédias gregas. Tempo para fazer tudo e ainda para reclamar que não nos deixavam fazer nada.


Milena é uma adulta normal que hoje, particularmente hoje, sente muita falta da sua infância.

5 comentários:

Angel disse...

Oi Milena!
Tudo isso que foi dito por vc e por algumas de nossas companheiras me deixou bem saudosa. Acabei de me lembrar que cheguei a comprar chicletes em uma "vendinha" aqui perto de casa para revender de porta em porta, na esperança de conseguir alguns centavos de cruzeiros (a moeda da época)provavelmente pra gastar com outras porcarias que eu adorava. Estou aos suspiros...de saudade!
Bjos

Paula disse...

Oi Milena!
Eu sou das que fazem aniversário perto do Natal rsrs. Mas não sofro não, já me acostumei!
Muito nostálgicas as suas lembranças: eu também tinha medo da Cuca e adorava elástico! Nosso tempo de infância foi sem dúvida abençoado e muito feliz!
Beijo.
Beijos.

Gisele Lins disse...

Ai, Mí, também me deu saudades de ser piá de novo... Só concordo com a paula que aniversário perto do Natal não é sofrimento. Às vezes eu "juntava" até a Páscoa, com o aniversário e o Natal para barganhar um presente mais legal que eu queria muito. E quando chegava a Páscoa, minha mãe já tinha esquecido a barganha, hehehe.
Tempo para fazer tudo é o que eu mais sinto falta... Muito bom, Mí!

Sisa disse...

Oi Mi,
Esta semana me deu uma saudade tão grande da minha infância, cheguei a rascunhar um texto sobre ela, mas acabei sendo tomada pela amargura.
De qualquer forma, seu texto, assim como os outros, me fizeram muito feliz, de lembrar dos meus tempos e de ter certeza que eu era feliz e sabia.

Débora disse...

Oi Milena! O seu texto me trouxe várias recordações!Tbm brinquei muito de gato mia, de pular elástico, de andar na enchurrada e tbm morria de medo da cuca!Era feliz e não sabia! bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...