sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Eu quero é alguém que me faça rir

Eu nasci azeda. Era mal humorada desde criança, e lembro da minha mãe falando, quando eu era adolescente, que não conhecia ninguém da minha idade que fosse tão estressado. Pra piorar minha situação, nasci irmã de uma pessoa que sempre foi uma palhaça que ria por tudo e por nada, e a comparação era inevitável. Embora o bom humor crônico de Laeticia não seja tão infalível quanto ela acha que é, o fato é que a maior parte do tempo ela está muitíssimo bem humorada e eu sempre fiquei ainda mais mal humorada só de olhar pra ela rindo enquanto eu, com minha natureza azeda, estava sempre à beira de um ataque de nervos.

Mas o tempo foi passando e eu fui cansando de estar sempre estressada, e fui me abrindo aos poucos pras coisas engraçadas que acontecem na vida da gente. Claro que nem sempre eu consigo manter o humor nas alturas, mas nos últimos tempos venho sendo razoavelmente bem sucedida muitas vezes, inclusive conseguindo a proeza de rir de mim mesma muitas vezes. E tem sido bem mais legal e leve dessa forma.

Uns dias atrás fiz duas viagens. Primeiro fui pra Suíça encontrar com a Mônica, uma grande amiga que eu não via fazia tempo. Entre beijos e abraços, matamos muitas saudades e falamos do tempo que moramos juntas em Viçosa, lembramos dos casos, e em pouco tempo eu já estava dando muita risada. As bobeiras que a gente faz e as coisas que acontecem com a gente nesta fase da vida são realmente muito divertidas de se lembrar, mesmo que na hora tudo aquilo pareça muito trágico. Depois de uns dias encontrei com uma pessoa que conheci na adolescência, e fazia uns bons anos também que não via. Foram dois dias às gargalhadas, dessa vez não só lembrando as histórias, mas também rindo das menores coisas, fazendo e ouvindo piadinhas, fazendo desses dois dias alguns dos mais leves e divertidos que já passei.

Depois voltei pra Portugal e nem saí do aeroporto: já embarquei com As Moçoilas, a Tuna Feminina da UBI, para os Açores, onde elas iam se apresentar num concurso de tunas. Conhecia mesmo só três das meninas, e as outras de vista, de um dia que fui ao ensaio justamente para elas me conhecerem antes da viagem. Foram três dias nos Açores de muita, muita risada mesmo. Adorei todas as meninas, adorei os dias que passamos lá e realmente valeu muito a pena.

Eu já tinha chegado a uma conclusão e esses dias divertidos e leves só serviram pra confirmar: Eu quero mesmo ao meu lado alguém que me faça rir. Uma companhia divertida faz a vida da gente ficar mais leve e gostosa de ser vivida. Já que o rosto da gente sempre leva as marcas do que a gente viveu, quero que o meu leve mais marca de sorriso do que de azedume, e se é pra juntar o útil ao agradável, quero passar a vida dando gargalhadas ao lado de um grande amor.


Sisa está pensando seriamente em lançar a campanha “Apresente-me um cara divertido”. Caso lance, as inscrições serão abertas neste blog, rs...



6 comentários:

Paula disse...

Oi Sisa!
Você está certa, para conviver com alguém por um loooooongo tempo, só mesmo à base de descontração. As risadas e palhaçadas fazem parte da vida, seja com amigos, com familiares ou com o felizardo que fisgar seu coraçãozinho.
O melhor de tudo é que, por incrível que parece, as palhaçadas carinhosas só aumentam amor, respeito e cumplicidade!

Lança a campanha! Lança a campanha! rsrsrs

Beijos!

Angel disse...

Vc está anotando todos os pontos em que concordamos? Esse é mais um.
Também quero um amor divertido e inteligente. Pode ser as duas qualidades juntas ou é pedir demais? rsrsrsrs

Dar risadas com uma boa companhia é formidável.

Beijos!

Deisinha Rocha disse...

tantos encontros e reencontros e muitas risadas...

qm sabe neste meio vc no o acha???

gostei deste blog...

DJ disse...

isso nao é tao dificil..
o dificil é que além disso tudo, tem que ser bonito, inteligente, alto, bla bla bla, pra nao dizer rico :P
mas se procurar.. acha xD

Mônica disse...

Oi Si!
Fiquei muito feliz em saber que sou uma das pessoas que fazem parte da sua vida, uma das que te fazem rir... Também já não ria tanto a tanto tempo...
Foi muito gostoso o tempo em que vc esteve aqui com a gente. Você me traz alegria e saudades (boas).
Eu posso dizer que tenho do meu lado uma pessoa que as vezes pela faltade malícia me faz rir e muito..
Isso é importante,mas existe muitas outras coisas como : amor, sinceridade e confiança que são bem mais importantes num relacionamento. Tendo tudo isso, ele te fará rir sem muito esforço.
Te adoro muito!!!

e.duh.ardo disse...

Se realmente a campanha sair, me inscreverei !

Acho muito bons os textos que você escreve, principalmente o "Por que eu não quero te riscar da minha vida", me identifiquei muito com ele, exceto pela parte do vício em flight simulator(mas concordo na parte de ficar feliz quando vôo e de olhar pra cima quando ouço barulho de avião) exceto também pela parte "parece que você nasceu sabendo dirigir", pois ainda não sei dirigir.

O restante, se parece -e muito- comigo.

beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...