quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

A vaidade e eu

Andei pensando em qual seria o ponto em que ser vaidosa deixa de ser um atributo e passa a representar um problema (defeito, pecado, distúrbio, ..., como queiram). Até onde compensa passar por mil cirurgias plásticas e se tornar uma assinatura ambulante do cirurgião? Será que vale a pena ser refém de cosméticos e tratamentos estéticos? Por que tentar se ajustar a um padrão de beleza que nem sempre é atingível?

Eu sempre fui um pouco sem paciência com pessoas excessivamente vaidosas; considerava-as vazias, sem conteúdo. Mas em tempos de exercer a tolerância, não penso mais assim... Era fácil dizer que uma pessoa vaidosa não tem problema de verdade e por isso pode “perder” tanto tempo com futilidade, porque eu nunca me considerei vaidosa e sempre me achei uma pessoa de conteúdo (quanta besteira, meu Deus). Mas será que esta questão deve ser levada tão a ferro e fogo?

Hoje, eu entendo a vaidade como um reflexo de nosso interior: os valores; a forma como nos vemos; a maneira como fomos criadas; e o que almejamos. Assim, o espelho deve refletir a felicidade e a satisfação da pessoa consigo mesma. E, na busca delas, cada qual escolhe seu caminho, o ponto limite de arriscar: cremes, tratamentos, cirurgias, remédios malucos... Eu não tenho autoridade para julgar ninguém e apenas posso concordar ou discordar de certas maneiras como as pessoas guiam suas vidas, nada mais.

Continuo não concordando com os excessos cometidos em nome da estética porque acho que a beleza verdadeira não aparece à primeira vista. Para mim, esta beleza verdadeira se apresenta em uma atitude, em um ideal, em um jeito espirituoso de lidar com encrencas, em um lindo sorriso, em uma lágrima que rola por conta de uma forte emoção. Esta beleza sim, ano após ano, com ou sem a busca desmedida pelo belo estético, vai conosco até o último suspiro e ficará eternizada na memória daqueles que realmente nos amam e nos conhecem.

No entanto, percebo que encontrei um equilíbrio: se eu não cuidar do meu corpo (saúde, aparência, proporções), minha cabeça não ficará sã e não conseguirei externar a beleza verdadeira. Se antes eu dizia sem titubear que não era vaidosa, hoje já não é bem assim... Eu me dou ao luxo de momentos de vaidade, como domar minha juba, fazer as unhas, me preocupar com os quilinhos a mais (e lutar para eliminá-los), fazer aulas de abdominal para ver se dão efeito e usar roupas bonitas. Mas não sou escrava de nada e tenho meus instantes de pura preguiça (haja paciência para usar cremes e aparecer na academia segunda de manhã rsrs). E sabe o resultado? Hoje estou mais feliz e mais de bem comigo mesma!

Até a próxima!


Paula já se achou a intelectual e que apenas o cérebro importava. Hoje vive um pouco mais em equilíbrio e está feliz com isso. Tem pontos que a incomodam, claro, mas se depender de cirurgia plástica, provavelmente conviverá com eles para sempre, porque tem pavor de anestesia!



7 comentários:

Nadjara disse...

Paula adorei sua msg!Vc foi bem clara e ao mesmo tempo sensível... Parabens!!!! Beijinhos

Vivian disse...

Oi Paula,

Concordo com vc, se depender de eu fazer uma cirurgia em nome da beleza, vou morrer feia!! rsrs. Mas acho que é essencial que sejamos amiga do espelho para nos sentirmos bem. Dizem que beleza é um estado de espirito e eu concordo com isso, mas podemos dar uma ajudinha com alguns creminhos e um pouco de exercicio. Apesar de que os cremes para mim nunca fazem efeito porque eu começo a usa-los "fielmente" por uns 5 dias, depois vai dando uma preguicinha... rsrs. Beijos e otimo texto, como sempre.

Sisa disse...

Ahhh eu era bem daquelas que acha que o que importa é a mente, a alma. O corpo é só casca. Até que comecei a estudar filosofia e entender que pode até ser uma casca, mas por enquanto é ela que carrega nossa alma, né? Então cuidemos bem do veículo da nossa essência! (Eu odeio ginástica, rs)

Obs: Foi até engraçado a Vivian falando se se depender de cirurgia morre feia... Ela não consegue ficar feia nem se tentar hahahaha... Vivian, se você um dia quiser sentir o gostinho de ser feia, nasce de novo! hahahaha

Débora disse...

Paula,

Também acho que beleza não é tudo e que temos que cuidar do corpo para termos uma velhice saudável. Eu sou a favor de exercícios físicos e também de cirurgia plástica, não as exageradas como no caso daquela Angela Bismark, mas bem que eu gostaria de fazer uma lipo!!Vejo tanta gente aqui no hospital ter sucesso na cirurgia que acabei me animando, penso em ter um filho primeiro e depois me entregar à mesa operatória! Também sou adepta aos cremes e sou fiel à eles! Mas não se assuste, sou uma vaidosa controlada!rs

bjs

Angel disse...

Oi Paula!
Eu adoro cremes, tenho um pra cada parte do corpo. E também não gosto de engordar...parece que não sou eu no espelho. Mas não me considero compulsiva, tenho preguiça, não uso cremes todos os dias, detesto maquiagem e não sigo moda. Não vou arriscar dizer que nunca farei uma cirurgia plástica, sei lá... vai que eu piro...rs

Beijos!

Andréa disse...

Paula, linda!!!

Quem disse que você não é vaidosa?! Quem disse??! Você é extremamente vaidosa, Paula - mas não pela beleza estética, externa e, sim, pela intelectual!!! Você se esmera em ser melhor em tudo o que faz! E porquê??? Por vaidade! Por desejar a admiração dos outros!

Quando lhe falei que lembrei do filme "O Advogado do Diabo" (com o sensacional Al Pacino no papel do Diabo) ao ler seu texto, me referi à seguinte fala dele no filme:

"Vanity! Definitely my favorite sin."

O que ele diz no filme é que é através da vaidade dos homems que ele seduz suas almas. E que o homem é capaz de abrir mão de tudo (e até de "vender" sua alma) para satisfazer sua necessidade de ser admirado. Porque, para o homem, nada é mais importante do que poder e prestígio perante os outros...

Claro, claro, não estou falando que vamos a estes extremos, mas que todos temos um ou outro tipo de vaidade, ah, isto temos.

Mas, com relação à vaidade estética, sou como você: também (tento) não ser escrava da estética, buscando perfeição a qualquer custo. Bisturi então? Saio correndo!!! Acho que vale muito mais a beleza que vem de dentro.

Em tempo: você tem sobrando as duas belezas, viu? Tanto a exterior, quanto a beleza do coração!!!

Beijão da sua admiradora! (eita, quanta rasgação de seda... hehehe)

Anônimo disse...

voseismulherem vâo se fuder

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...