sábado, 1 de dezembro de 2007

Menina, nem te conto!

Não há nada mais feminino do que a fofoca. (Aliás, a própria palavra é feminina!). Fico pensando se não seria um traço inerente à condição feminina. Sim, pois fofocar é coisa de mulher!

Ah, gente, vamos lá: em maior ou menor grau, quem nunca fez uma fofoquinha essa semana!? Que atire a primeira pedra, então! Conjugando, acho que fica mais ou menos assim:

Eu fofoco...
Tu fofocas...
Ele fofoca...
Nós fofocamos...
Vós fofocais...
Eles “se”...

É, porque tem que tomar cuidado. Há certas fofocas que mesmo pequenininhas podem causar um estrago enorme! E podem dar uma dor de cabeça de pegar fogo em travesseiro. Em tempo, gostaria de deixar bem claro aqui que difamação não entra no que eu chamo de fofoca. Quem difama faz uso da fofoca, mas fofoca não é difamação. É aquela comichão, aquela coceirinha que provoca a vontade de passar pra frente o que se escutou, o que se leu, o que se viu..., mas é “coisa leve”, algo sem maiores complicações a princípio.

E chega a ser engraçada a tal da fofoca. Às vezes, irresistível! Eu sei que você, leitor, pode estar achando feio tudo isso e até imaginar que eu estou fazendo uma apologia à fofoca. Ao contrário, estou sendo realista. Todo mundo, mas especialmente a mulher, fofoca. O quê? Você não sabia disso????

É claro que há homens que também fofocam. E eu vou te contar, um homem fofocando vale por uma dezena de mulheres! Engraçado falar nisso porque outro dia, um conhecido meu,...

Bom, vamos a Drummond:

Casas entre bananeiras,
Mulheres entre laranjeiras,
Pomar,
Amor,
Cantar.

Um homem vai devagar,
Um burro vai devagar,
Um cachorro vai devagar.

Devagar,
As janelas olham...
(Êta vida besta, meu Deus!)

(Cidadezinha qualquer)

Gosto muito desse poema, do ritmo, da simplicidade que ele apresenta. E ele me remete a essa questão da cidade pequena, das pessoas que vivem na janela ou sentadas na entrada da casa conversando. Conversando?! FOFOCANDO! E como fofocam... Menina, nem te conto!


Vanessa mora em uma cidade nem tão pequena, mas que possui inúmeras “janelas que olham”. Confessa-se uma leitora das revistas QUEM e CARAS, ainda que apenas em salões de beleza. (Aliás, como fofocam as mulheres nesses ambientes!).


4 comentários:

SM disse...

Aproveitando a deixa, vim fazer uma fofoquinha: o Testa de Ferro sairá do ar no último dia do ano. Convido vocês a fazerem uma visitinha enquanto é tempo... rs.

Beijocas!

Sisa disse...

Ahhhh esses dias fiquei sabendo do meu nome rolando na boca de uma fofoqueira psicopata e eu nem posso ir plantar a mão na cara dela porque tem um oceano entre a gente... Ahhh Deus não dá asa a cobra, viu? rs...

Laeticia disse...

Uai, pq o Testa de Ferro vai sair do ar?

Eduardo disse...

É Vanessa, Nova Lima não é tão pequena, mais os "assuntos da vida alheia" se espalham pelo vento.
Como você disse, difamar é diferente de fofocar.E, na minha opinião, nessa partilha de informações, a fofoca algumas vezes vai virando difamação.
Bom texto, parabéns

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...