segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Medo de baratas: questão de sobrevivência

Há um elemento de grande poder destrutivo capaz de unir toda a classe feminina: a barata! Na ideologia de dominação totalitária, a presença de um grande inimigo, comum a todos, ajuda a fortalecer as classes no poder. Ah, se Hitler ou Stálin soubessem do pânico que a barata causa nas mulheres, ela seria a escolhida como o grande inimigo a combater. Assim, todas as mulheres desviariam suas atenções para a eliminação das baratas, e os poderosos ditadores poderiam continuar suas crueldades e guerras por poder na maior tranqüilidade. Além do mais, as mulheres empregariam os homens como exterminadores de “inimigos”, já que as mesmas não teriam coragem de combatê-las em campo aberto.

Na verdade, há uma explicação científica para o medo que sentimos desses seres. As baratas são realmente os seres mais resistentes do planeta. Qualquer um teria medo de uma criatura que não morre após um ataque nuclear. O argumento masculino seria que ela morre ao pisarmos nela, ou seja, a barata é um ser insignificante, fraco. Oras, se um indivíduo com a proporção de mais de cem vezes o seu tamanho e peso pisar em você, é lógico que você morre. A barata não é mais fraca por isso. Agora, se nós, simples mortais, fomos expostos a energia nuclear, gases tóxicos, ou um simples vírus, como o da gripe aviária, estaremos mortos em pouquíssimo tempo! Então, quem é mais fraco?

A barata habita a Terra desde milênios antes do homem, e com certeza habitará por muito tempo após o fim de humanidade. Ela não sente dor! Isso é um absurdo! Ela vive nos esgotos, está exposta a bactérias, a todo tipo de doença fatal ao ser humano, mas não morre! Dizem que há cerce de 500 baratas para cada pessoa no planeta. Eu abro mão das minhas. Ela invade qualquer lugar, resiste a tentados terroristas, e não há bomba H capaz de eliminá-la. Até os dinossauros foram extintos, mas olha elas aí....

Logo, se as explicações acima não são suficientes para convencer aos homens que quem manda neste planeta são as baratas, e que temos medo delas por fortíssimas razões, então eu não sei se devemos sentir medo de mais nada.


Tânia é pão-dura, louca e não toma remédio para não gastar dinheiro! Adora ler, ver filmes e escutar música. Adora animais, menos baratas, mesmo sendo “baratas”!


6 comentários:

Rharry Belloti disse...

Hahhaha, você me fez lembrar de algo. Sempre que aparece uma barata, meu namorado usa esse argumento:"Como vou matar o ser mais resistente da face da Terra? Se o bicho resiste a um ataque nuclear, meu tênis vai fazer cócegas nele!"
É a desculpa que ele usa pra me ver gritando igual uma louca!!
Beijo.

Angel disse...

Tânia, adoro sua relação com as baratas. E as baratas devem adorar também.
Mas concordo que elas são nojentas e também abro mão da minha cota.

Beijos!

Carollinna disse...

Medo, até que não, mas NOJO....eca! Quando vejo uma não sossego até matar. Com chinelo, é claro, que ainda não desenvolvi uma bomba eficiente.

Laeticia disse...

Até que enfim alguém conseguiu exprimir minha insanidade quando me deparo com um ser desses! Sou capaz de virar mutante, criar asas e voar só de pânico desse bicho. Não consigo nem falar o nome.

Sisa disse...

Eu também abro mão das minhas!!!!

maria disse...

Olá! Apesar d o tema ser antigo, a questão não é. Apesar achar que homem só devia servir para dar prazer, dei por mim ao telefone, em pânico, a ligar para um! Não acho normal!
Depois ainda consegui vir pesquisar e encontrei-vos!
Também encontrei uma conversa interessante num site daqueles para os "machos". Dêem uma espiada:

http://forum.autohoje.com/showthread.php?t=12760

Felicidades às mulheres de todo o mundo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...