terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Valeu, Roberto Bomtempo!! (*)

Alguém já deve ter se apercebido que ando, novamente, passando por uma fase turbulenta da vida profissional. Foram muitas mudanças em muito pouco tempo. Algumas eu esperava, mas a maioria não. Acreditei em promessas que não se cumpriram, me frustrei, me chateei, cheguei a perder a crença nas pessoas e na minha profissão. Mas já passou. Não vou me deixar contaminar por pessoas ruins. Não vou abandonar um ideal por que a maioria só tem como ideal o próprio umbigo.

Bem, mas então que nestes dias de madame (ando brincando que minha profissão agora é mulher de médico até eu decidir qual caminho exatamente trilharei), aproveitei pra por minhas coisas em ordem e pra pensar no que será, que será. E foi numa dessas que Mariana, uma Promotora de Justiça de Natal que faz pós comigo, me chamou pra almoçar com ela. Ela andava meio sozinha aqui porque a gente tava trabalhando e ela de férias prêmio forçadas, por conta do estudo. Mesmo meio (pra não dizer inteiro) sem grana, eu fui.
Papo vai, papo vem, nós ali no shopping das patricinhas de Savassi Hills, ela e a Luciana (outra Promotora de Justiça, o mundo é das mulheres) estavam me convencendo a fazer concurso pra promotora também, e eu ali pensando em largar a tribuna e subir no tablado, quando entra no restaurante ninguém menos que Roberto Bomtempo. Sei que muitas de vocês podem estar pensando: será que ela surtou de vez e tá até querendo largar o maridão que ela tem? Vamos internar a balzaca! Não, colegas, nada disso. Roberto Bomtempo é um dos maiores atores e diretores de cinema brasileiros. Já assisti a pelo menos dois filmes em que ele atuou brilhantemente – Tolerância e Dois Perdidos Numa Noite Suja – e outro que ele dirigiu, filmado aqui em Belo Horizonte, que é simplesmente emocionante. Depois Daquele Baile, com uma Irene Ravache desbundantemente linda (como sempre) e um Lima Duarte e um Marcos Caruso sensacionais.

Não resisti e mandei um bilhetinho dizendo exatamente isso: que ele atuava sensacionalmente e dirigia emocionantemente. Ganhei um sorriso simpático e um “muito obrigado” de volta; na hora de ir embora, ele ainda me deu um tchauzinho. Amei o cara. Não porque ele seja lindo de morrer, ou por ser sem dúvida uma dos maiores atores da atualidade. Mas por ele ter me lembrado de que alcançar nossos sonhos vale mais que qualquer decepção, apesar das dificuldades.
Fiquei pensando: ele não é um cara lindo, lindo é o Gianecchini. Também não é charmoso igual ao Tuca Andrada, não aparentemente. Mas é certo que há inúmeras pessoas pelas quais nos apaixonamos depois de meia hora de conversa e fiquei com a impressão que ele deve ser desses. Bem, mas é que fiquei matutando: ele não é lindo e ter chegado aonde chegou não deve ter sido fácil. Competir com carinhas globais que se contentam com a novela das oito e a conta bancária recheada (e que depois de Os Três Porquinhos – fui alfabetizada com eles – nunca leram mais nada) não deve ser fácil. Vivemos num mundo que em valemos pelo que aparentamos e não pelo que somos. Lastimável. Mas Roberto Bomtempo, apesar dos papéis pequenos na TV – interpretados magistralmente, sempre – brilha no cinema!! Executa seus projetos com emoção, dá pra sentir da telona!! Seria mais fácil ser o eterno mordomo/motorista/dono do buteco global com a conta mais recheada que a da maioria da população brasileira. Mais fácil do que brigar pra ser protagonista, galã de novela. Mais fácil do que querer fazer cinema, tão pouco valorizado neste país. Mas ele fez. Fez e brilhou.

Se Roberto Bomtempo não se deixou desanimar pelas dificuldades de fazer cinema num país onde o povo ama só novela, onde só o cinema norte americano tem vez nas distribuidoras e nas salas de exibição, porque é que eu vou deixar a tribuna e ir pro tablado?!! Porque o tablado é mais difícil, diriam alguns. Mas não é por isso não. É porque o meu tablado é a tribuna e é lá que é o meu lugar!

(*) é com “M” antes do “t” mesmo. Dizem que nome próprio pode tudo.
Laeticia é uma advogada que já conseguiu se recuperar emocionalmente do último tombo, criou mais cicatrizes, mas vai brigar pra continuar na tribuna. Só que agora vai ser do lado de lá!

6 comentários:

Angel disse...

Ei Maria!
É bom te ver revigorada!

O Bomtempo é uma admirável ator. Poucos são admiráveis hoje em dia.
E não ser bonito deve dificultar bem as coisas, a necessidade de talento deve ser bem maior. Ainda bem que ele tem de sobra.

Beijos!

Sisa disse...

Bom, se eu não desanimei do meu caminho depois do meu orientador de Iniciação Científica me chamar pra avisar que não ia renovar minha bolsa porque eu não tinha o menor talento pra física, é porque realmente sou teimosa. Depois ganhei de brinde um conselho: "Talvez seja melhor você procurar outro curso". Mas o presentão mesmo veio depois de 2 anos: "O que você acha de voltar pro laboratório? Os alunos que estão lá não conseguem aprender nada!"

Mia disse...

Mas o que não é a vida cheeeeeia de altos, baixos e gostosas tardes de liseu com as amigas para por acaso encontrar com pessoas admiráveis e mudarmos toda a nossa perspectiva diante dos problemas?
Muuuito bom!


Aodrei! Parabéns pela força (re)encontrada!

=***

Luciana Carvalho disse...

Desistir jamais, siga sempre em busca de seu objetivo.
Quando tiver um tempinho, entra aqui, tem presentinho pra vcs.

http://luletras.blogspot.com/2007/12/meme-na-mira.html

Bjs

Aline Bahiense disse...

É isso aí, Lê! Sempre forte, animada e bem humorada. Adorei o texto!
beijos e sucesso!

vanandram disse...

Ei, madame!
Gosto tanto dos seus textos!
Desse gostei, especialmente, pela persistência que demonstra com relação às coisas que acredita!
vá em frente!
Um abraço,
Vanessa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...